Provas apontam para que tragédia no Sri Lanka tenha sido retaliação contra ataques da Nova Zelândia

Número de mortos nos ataques terroristas subiu para os 321

• Foto: Reuters

O governo do Sri Lanka revelou, esta terça-feira, que as primeiras investigações apontam para que os atentados coordendos de domingo de Páscoa, que mataram mais de 300 pessoas, tenham sido uma retalização dos ataques contra duas mesquitas no Nova Zelândia. Segundo as declarações de um ministro cingalês, citadas pela Reuters, as autoridades acreditam ainda que o ato terrorista foi prepetrado por dois grupos islâmicos locais, sendo um deles o já falado National Thowheeth Jama'ath

No passado dia 15 de março, 50 pessoas perderam a vida e outras tantas ficaram feridas num ataque indiscriminado contra muçulmanos que se encontravam em duas mesquitas em Christchurch, antes da oração do meio-dia. O alegado autor dos ataques, o australiano Brenton Tarrant, foi preso no mesmo dia, tendo sido acusado pela polícia por 50 homicídios e 39 tentativas de homicídio. Publicou um memorando onde declarava o seu ódio aos mulçumanos. 

Também esta terça-feira, o número de mortos nos ataques terroristas subiu para os 321. Segundo o porta-voz da polícia do Sri Lanka, Ruwan Gunasekara, os feridos são "mais de 500". Na sua declaração, o responsável admitiu dificuldades em fornecer dados sobre as vítimas. Na segunda-feira, o ministro do Turismo do Sri Lanka, John Amaratunga, revelou que 39 turistas de várias nacionalidades foram mortos nos atentados em igrejas e hotéis no país, enquanto outros 28 ficaram feridos. Dinamarqueses, australianos, americanos, chineses, japoneses, britânicos, turcos e indianos, além do português Rui Lucas, estão entre os estrangeiros que faleceram domingo. O porta-voz da polícia deu ainda conta da detenção de 40 pessoas no decurso da investigação aos ataques.

Esta terça-feira realizaram-se também os primeiros funerais das vítimas locais dos atentados - uma cerimónia coletiva teve lugar em em Negombo, a norte da capital, Colombo. Cerca das 08h30 locais, assinalou-se um minuto de silêncio em memória de todos os que morreram. O Sri Lanka vive hoje um dia de luto nacional. 

A capital do país, Colombo, foi alvo de pelo menos cinco explosões no domingo de Páscoa, em quatro hotéis de luxo e uma igreja. Duas outras igrejas foram também alvo de explosões, uma em Negombo, a norte da capital e onde há uma forte presença católica, e outra no leste do país. A oitava e última explosão teve lugar num complexo de vivendas na zona de Dermatagoda.

As primeiras seis explosões ocorreram "quase em simultâneo", pelas 08h45 de domingo (03h15 em Portugal), de acordo com fontes policiais citadas por agências internacionais.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.