PS quer ouvir a Fosun e Luís Filipe Vieira na comissão de inquérito ao Novo Banco

São 63 as pessoas e entidades chamadas pelos deputados socialistas

João Paulo Correia
João Paulo Correia
João Paulo Correia

São 63 as pessoas e entidades chamadas pelos deputados do PS à comissão parlamentar de inquérito (CPI) ao Novo Banco (NB), com destaque para a Fosun e para os 10 maiores devedores da instituição que ficou com os melhores ativos do antigo BES, entre os quais se salienta o presidente do SLBenfica, Luís Filipe Vieira. 

Ao Negócios, João Paulo Correia, deputado socialista e coordenador do respetivo grupo parlamentar nesta nova comissão de inquérito, explica a intenção de ouvir a Fosun pela necessidade de melhor se compreender "um dos momentos-chave da vida do NB e que tem a ver com a venda que falhou em 2015".

O também vice-presidente da bancada socialista lembra que a proposta de compra feita pelo atual maior acionista do BCP e também dona da Fidelidade e do Hospital da Luz "era a melhor e não representava custos para os contribuintes", o que leva o deputado a considerar necessário conhecer não só a proposta como ouvir explicações para se perceber o que correu mal. 

Já no que diz respeito aos documentos solicitados, o PS quer conhecer o relatório produzido pela Comissão Europeia, que "ainda hoje é considerado confidencial", e que "avalia o impacto da liquidação e da venda do NB". A partir do 2018, o NB tinha de ser vendido ou liquidado e, nesse relatório, Bruxelas "entendeu ser melhor vender o banco do que liquidá-lo", refere João Paulo Correia, que argumenta ser preciso conhecer o relatório em causa para dissipar quaisquer dúvidas de que "a venda era a melhor solução disponível". 

13
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.