O jornal The New York Times e a revista The New Yorker são os grandes vencedores do prémio Pulitzer. As denúncias dos crimes sexuais em Hollywood realizados pela publicação, nomeadamente a queda do produtor de cinema Harvey Weinstein, levaram à atribuição do mais desejado prémio aos meios de comunicação social.

A edição de 2018 dos prémios Pulitzer destacou o "serviço público" que o jornal e revista realizaram ao relatar o assédio e violência de grandes nomes da imprensa e do cinema.

As reportagens apoiam o movimento #MeToo que, em 2017, esteve na origem de várias denúncias por parte várias mulheres da indústria de Hollywood, incluindo grandes nomes da sétima arte.

A relação entre Donald Trump e a Rússia também foi destacada e valeu um galardão para o jornal The Washington Post.

Ronan Farrow foi o jornalista mais premiado com quatro investigações distinguidas pela positiva.

Os vencedores dos Prémios Pulitzer foram anunciados esta segunda-feira na Universidade da Columbia, em Nova Iorque. Estes são os prémios mais aguardados pelos meios de comunicação, uma vez que, através de 14 categorias, destaca o que de melhor se faz no jornalismo.

Autor: Correio da Manhã