Salário de gestores empresariais aumentou durante a crise

Tese de mestrado da Faculdade de Economia do Porto revela que as remunerações de gestores de empresas cotadas na bolsa não sofreram quebras entre 2008 e 2016

• Foto: EPA

Os salários de gestores de empresas portuguesas não viram as suas remunerações serem influenciadas durante o período de crise. De acordo com uma tese de mestrado da Faculdade de Economia do Porto, divulgada na edição deste domingo do jornal Público, o nível dos salários destes dirigentes foi influenciado, não pelo desempenho da empresa, mas pela sua dimensão, o sector em que está inserido ou o poder do gestor.

O estudo, realizado por Joana Reis e orientado por Jorge Farinha, recolheu informações e analisou contas de 2008 a 2016 de 37 empresas cotadas na bolsa portuguesa. A investigação concluiu que, para além dos salários dos gestores não serem influenciados pelo seu desempenho na empresa, o contrário também é verdadeiro: a prestação da empresa também não influencia as remunerações dos CEO’s.

Isto quer dizer que, independentemente de como está a situação da sua empresa, os gestores empresariais não se sentem motivados, em termos salariais, a alimentar o seu próprio negócio. Em média, os gestores de empresas da bolsa portuguesa viram o seu salário aumentado em quase 23 mil euros durante os oito anos de crise em Portugal – de 428.035 euros em 2008 para 450.985 em 2016, uma percentagem de 5,36%.

E o pico em termos salariais aconteceu mesmo em 2011, o ano em que o Governo português pediu ajuda externa. Nesse ano, gestores de empresas cotadas na bolsa receberam, em média, 550 mil euros. Durante o mesmo período de oito anos, o trabalhador português aumentou em apenas 100 euros o seu salário – de 1008 euros em 2008 para 1108 euros em 2016, uma subida de 9,92%.

Autor: Sábado

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.