Salários dos portugueses aumentaram 3% no terceiro trimestre

Tendo em conta mais de 4 milhões de empregos, o vencimento bruto médio subiu para 1.220 euros em setembro

start-ups, empreendedores, empreendedorismo empresas trabalho
start-ups, empreendedores, empreendedorismo empresas trabalho

A remuneração bruta mensal média por trabalhador aumentou 3% em Portugal, atingindo 1.220 euros, revelou o Instituto Nacional de Estatística, que começou este ano a reportar a evolução dos salários tendo por base cerca de 4,2 milhões de postos de trabalho.

O primeiro destaque do INE com estes dados, revelado em maio, dizia respeito apenas aos trabalhadores que descontam para a Segurança Social. Agora, no destaque revelado esta quinta-feira, 7 de novembro, já são tidos em conta os funcionários públicos, que descontam para a Caixa Geral de Aposentações. O INE destaca que assim ficou alargada a "cobertura à quase totalidade dos trabalhadores por conta de outrem da economia".

Os dados agrupados mostram que em termos reais, os salários dos portugueses aumentaram ainda mais (3,2%), já que a inflação foi negativa nos últimos meses.

O aumento dos salários dos trabalhadores portugueses foi um dos objetivos assinalados pelo primeiro-ministro na tomada de posse. Para tal fixou como meta o aumento do salário mínimo para 750 euros no final da legislatura, em 2023.

Os dados do INE mostram que tendo em conta os nove meses acumulados este ano, a remuneração bruta mensal média por trabalhador aumentou 2,6% face ao mesmo período do ano anterior. A taxa de variação de 3% no terceiro trimestre foi superior aos 2,9% registados em junho e 2,7% em março.

O INE calcula ainda outro indicador para medir a evolução dos salários, que é menos volátil por excluir os subsídios de férias e de Natal, bem como outras componentes salariais. A remuneração bruta regular mensal média por trabalhador aumentou 2,8% para 1.039 euros. 

Desde o início do ano passado, quando as taxas de crescimento eram inferiores a 1%, que o crescimento do salário regular tem vindo a acelerar. No trimestre terminado em outubro de 2018 passou para taxas de crescimento de 2% e desde então tem vindo a acelerar. O aumento de 2,8% no trimestre terminado em setembro deste ano é mesmo o mais elevado desde que INE colige estes dados (setembro de 2015).

O INE mostra ainda os dados dos salários desagregados por setor, concluindo que nos últimos quatro anos, a remuneração bruta mensal regular aumentou acima da média (7,3%) no setor de bens ou serviços transacionáveis (11,3%) e no dos não transacionáveis mercantis (7,8%).

No setor dos não transacionáveis não mercantis, que integra as Administrações Públicas, o aumento foi 6,8%. O INE salienta que "neste setor, a remuneração regular mantém-se persistentemente superior à média da economia (em cerca de 28% em setembro de 2019), refletindo em larga medida a diferente composição dos seus recursos humanos".

 

Por Negócios
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.