Suécia reabre investigação a Assange por alegada violação

WikiLeaks diz que tal irá dar oportunidade para "limpar o seu nome"

• Foto: Reuters

A justiça da Suécia anunciou esta segunda-feira que irá reabrir uma investigação preliminar sobre a alegada violação de que é acusado o fundador da WikiLeaks, Julian Assange, avança a Reuters. Decisão foi anunciada pela vice-diretora da Procuradoria, Eva-Marie Persson, em conferência de imprensa.

O ativista australiano, atualmente a aguardar julgamento no Reino Unido por ter violado a liberdade condicional a que tinha sido condenado, irá agora ser alvo de um novo interrogatório por parte da procuradoria sueca. A investigação, que remonta a 2010 e havia sido suspensa em 2017, foi reaberta após a saída de Assange no mês passado da embaixada do Equador em Londres, a 11 de abril de 2019. 

A 1 de maio, o ativista foi condenado a 50 semanas de prisão no Reino Unido por ter violado as condições de liberdade condicional a que estava sujeito desde 2012.

Em reação à reabertura do caso, a WikiLeaks indicou esta segunda-feira que a investigação permitirá a Assange "limpar o seu nome". "Desde que Julian Assange foi preso, tem existido uma pressão política na Suécia para reabrir a sua investigação" referiu Kristinn Hrafnsson, editora da organização, em comunicado citado pela Reuters. "A sua reabertura irá dar ao Julian uma oportunidade para limpar o seu nome."

Autor: Negócios

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.