Supremo rejeita pedido de habeas corpus de Manuel Pinho

Antigo ministro continua em prisão domiciliária, decretada no âmbito do processo EDP

Manuel Pinho
Manuel Pinho

O Supremo Tribunal de Justiça rejeitou o pedido de Habeas Corpus de Manuel Pinho esta quarta-feira. O antigo Ministro da Economia pretendia deixar de estar em prisão domiciliária com pulseira eletrónica.

Esta medida de coação havia-lhe sido decretada no âmbito do processo EDP.

"A providência de habeas corpus tem uma natureza excepcional destinada a assegurar o direito à liberdade, mas não é um recurso. É um remédio para ultrapassar situações de prisão decretada a coberto de ilegalidade grosseira, e este remédio não pode ser utilizado para invocar deficiências processuais ou ilegalidades que tenham no recurso a sua sede própria de apreciação", lê-se na decisão a que o Correio da Manhã teve acesso.

Os juízes conselheiros concluem: "De tudo se conclui que o pedido apresentado por Manuel Pinho carece de base factual e legal que o suporte".



Por Correio da Manhã
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Fora de Campo

Notícias