Tesla falha estimativas de vendas no primeiro trimestre e admite impacto nos lucros

Parte da explicação poderá estar na redução do crédito fiscal para a compra de veículos elétricos nos Estados Unidos

As vendas da Tesla no primeiro trimestre deste ano ficaram abaixo do esperado e a fabricante de carros elétricos admite que os números poderão ter um impacto negativo nos lucros. Ainda assim, as projeções para as vendas no conjunto do ano mantêm-se no intervalo entre 360 e 400 mil veículos entregues.

Segundo os dados revelados pela fabricante, nos primeiros três meses do ano foram produzidos aproximadamente 77.100 veículos, dos quais 62.950 Model 3 e 15.150 Model S e X.

Já as vendas fixaram-se em 63 mil automóveis, 110% acima do período homólogo, mas 31% abaixo do trimestre anterior.

Deste total, 50.900 foram exemplares do Model 3 e 12.100 do Model S e X. Os analistas antecipavam entregas de aproximadamente 76 mil unidades.

A empresa informou ainda que, no final do trimestre, mais de 10 mil carros estavam em trânsito, para ser entregues aos clientes, devido a um pico de encomendas na China e na Europa.

"Devido a um forte aumento nas entregas na Europa e na China, que por vezes ultrapassaram 5 vezes os picos anteriores, e muitos desafios encontrados pela primeira vez, entregámos apenas metade dos números do trimestre até 21 de março, dez dias antes final do trimestre", anunciou a Tesla, em comunicado. "Isso fez com que um grande número de entregas de veículos passasse para o segundo trimestre. No final do primeiro trimestre, aproximadamente 10.600 veículos estavam em trânsito para clientes a nível global".

No mesmo comunicado, a empresa admite que, devido ao volume de entregas baixo do esperado e aos vários ajustamentos de preços, "esperamos que o resultado líquido do primeiro trimestre seja negativamente afetado". "Ainda assim, terminámos o trimestre com dinheiro em caixa suficiente", acrescenta a fabricante, que completou em dezembro o segundo trimestre consecutivo de resultados positivos.

Parte da explicação para as vendas abaixo do esperado poderá estar na redução do crédito fiscal para a compra de veículos elétricos nos Estados Unidos que, a partir de 1 de janeiro, foi cortado de 7.500 dólares para 3.750 dólares.

A empresa espera agora impulsionar a procura pelos seus automóveis com a versão low-cost do Model, de 35 mil dólares, e com o novo Model Y, lançado no passado dia 14 de março.

Autor: Negócios

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.