Tribunal arresta dois apartamentos de Joe Berardo

Imóveis estão avaliados em quatro milhões de euros

O Tribunal de Lisboa arrestou dois apartamentos de Joe Berardo, segundo avança a SIC Notícias. Os imóveis, situados em Lisboa, estão avaliados num total de quatro milhões de euros, refere a estação televisiva. 

Em causa está um apartamento na Lapa avaliado em 1,5 milhões de euros. Este está em nome da Atram – Sociedade Imobiliária, empresa da qual Berardo é o presidente do conselho de administração.

É também a esta empresa que pertence o segundo apartamento na Infante Santo. Neste caso, um T4 com 430 metros quadrados avaliado em dois milhões e meio de euros, segundo a SIC Notícias. No entanto, a Sábado já tinha avançado na edição desta quinta-feira o arresto deste imóvel indicando que estava avaliado em cerca de dois milhões de euros. 

Segundo a revista, esta casa foi comprada em 1999 por Berardo. Em outubro de 2008, quando os seus empréstimos de mil milhões de euros à banca já estavam no vermelho, o comendador vendeu o imóvel. Isto através de um aumento de capital da Atram. O aumento de capital foi de apenas 40 mil euros.

A SIC Notícias refere ainda que os dois imóveis foram arrestados pelo Tribunal da Comarca de Lisboa para pagar as dívidas do comendador à Caixa Geral de Depósitos (CGD).

Para tal, o tribunal teve de usar um mecanismo legal considerado raro para conseguir apreender os bens. Foi através da chamada "figura da desconsideração da personalidade jurídica coletiva" que os juízes conseguiram provar, através de documentos e testemunhos dos moradores dos prédios, que as duas casas, apesar de estarem em nome de uma empresa, pertencem ao empresário madeirense. 

Fonte do comendador afirmou que Berardo ainda não foi notificado.

Autor: Jornal de Negócios

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.