Trump e o encontro com Putin: «Foi um dia muito construtivo»

Reunião demorou mais de duas horas

Trump e Putin
Trump e Putin • Foto: Reuters

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, considerou a cimeira de Helsínquia com o homólogo dos EUA, Donald Trump, essencial para colocar a relação entre os dois países no bom caminho novamente. Na conferência de imprensa conjunta, o líder russo defendeu ser "necessário aos dois países trabalharem juntos" nas questões de defesa para enfrentar os problemas de segurança mundiais e manterem a luta contra o terrorismo e assegurarem a cibersegurança. 

"As nossas conversações reflectem um desejo de restaurar a confiança", disse Putin aos jornalistas, antes de Trump tomar a palavra. "As negociações com Trump decorreram numa atmosfera construtiva e considero que foram úteis e um sucesso", sublinhou.

O presidente dos EUA também considerou o encontro um "sucesso", antes de agradecer ao presidente da Finlândia a organização da cimeira e dar os parabéns a Putin pelo sucesso do Mundial de 2018. "A diplomacia e o compromisso são sempre preferíveis à hostilidade e ao conflito", atirou Trump, considerando que a reunião abriu novos caminhos para a paz entre os dois países. 

"Se vamos tentar resolver muitos dos problemas que afectam o mundo, temos que encontrar maneira de cooperar", disse o líder da Casa Branca. Segundo Trump, da agenda fizeram parte a guerra na Síria, o Irão, o terrorismo global e o controlo das armas nucleares. Além disso, os chefes de estado falaram também da alegada interferência russa nas eleições presidenciais conquistadas pelo republicano. 

"O encontro de hoje é o primeiro passo de um longo processo", acrescentou, dizendo que acreditava poder falar em nome dos países. "Hoje, foi um dia muito construtivo e acredito que nos vamos encontrar novamente no futuro", disse, rematando: "Recusar compromissos não permite conquistar o que for". 

A conferência de imprensa teve lugar depois de um almoço de trabalho entre os chefes de estado, tendo-se juntado a Trump o secretário de Estado, Mike Pompeo, e o embaixador dos Estados Unidos na Rússia, Jon Huntsman. O dia do líder da Casa Branca e do líder de Moscovo começou com um encontro privado, para o qual a Casa Branca tinha previsto 90 minutos e mas que acabou por durar mais de duas horas.

Os dois chefes de estado reuniram-se no Palácio Presidencial em Helsínquia, no centro da capital finlandesa, que tem uma longa tradição no acolhimento de cimeiras Leste-Oeste. Os conflitos na Síria e na Ucrânia, o desarmamento nuclear e a suposta interferência de Moscovo nas eleições dos EUA constavam da agenda da reunião.

Esta foi a quarta vez que presidentes norte-americanos e russos se encontram na capital da Finlândia depois de Gerald Ford e Léonid Brejnev (1975), George Bush e Mikhail Gorbatchev (1990) e Bill Clinton e Boris Ieltsin (1997).

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.