Vacina da AstraZeneca e Oxford tem primeira luz verde no Reino Unido

Vai chegar em primeira-mão aos grupos mais vulneráveis

A vacina para a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica Astrazeneca em conjunto com a Universidade de Oxford conseguiu a primeira aprovação no mundo.

Esta é a segunda vacina a ser aprovada pelo regulador do Reino Unido, depois de no início de dezembro este ter sido o primeiro país a dar luz verde à vacina da Pfizer e BioNTech.

O governo britânico investiu mais nesta vacina do que em qualquer outra, comprando 100 milhões de doses. Esta é mais fácil de transportar e armazenar do que a da Pfizer e BioNtech, mas levantou questões dadas discrepâncias nos resultados dos testes clínicos.

A vacina de Oxford vai chegar em primeira-mão aos grupos mais vulneráveis, de acordo com o transmitido pelo governo e pela farmacêutica esta quarta-feira. Vai ser distribuída numa primeira ronda pelo máximo de pessoas, seguida de uma segunda ronda no prazo de 12 semanas. A prioridade é ter tantas pessoas vacinadas quanto possível rapidamente, e só depois reforçar a dose, de acordo com a opinião de um grupo de consultores do Governo britânico.

O responsável da AstraZeneca, Pascal Soriot, disse que "hoje é um dia importante para milhões de pessoas no Reino Unido que vão ter acesso a esta nova vacina" que "tem demonstrado ser eficaz, bem tolerada, simples de administrar e é fornecida pela AstraZeneca sem qualquer lucro".

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias