A opinião de Marco Ferreira: Arbitragem no contexto social

Árbitros ao raio X

• Foto: DR Record

O tema ‘Arbitragem’ sempre foi controverso no meio social/desportivo português. O povo está de costas voltadas com a arbitragem e a culpa, muitas vezes, é da própria estrutura montada à volta dessa tão nobre atividade. Os árbitros acabam por ser as vítimas das leis e regulamentos criados no sentido de proteger a classe, mas o que acaba por acontecer é o contrário.

Quanto mais se ‘protege’ mais se alimenta a desconfiança. A arbitragem devia abrir-se à sociedade, colocar árbitros a falar nas escolas para os mais jovens tentando investir na mudança de mentalidades das gerações futuras. Árbitros a falar aos jogadores de todos os escalões dentro dos próprios clubes ajudava na formação, potenciava novos árbitros e estreitava relações com as estruturas desportivas. A sociedade tem de ter oportunidade de conhecer melhor o árbitro como pessoa e não somente como um agente desportivo.

Acabar com os ‘segredos’ de um sistema classificativo há muitos anos caduco, onde ninguém entende a disparidade entre os desempenhos e as classificações. Todas estas mudanças são urgentes na arbitragem e no próprio futebol português. Existe boa vontade do Conselho de Arbitragem e até mesmo da própria FPF, mas a realidade é que existem normas internacionais que terão de ser cumpridas e respeitadas. Será que não vamos passar das boas intenções? Será que vamos ser fortes o suficiente para romper com o passado e trilhar o nosso próprio caminho? Credibilizar a arbitragem, tornando-a transparente e justa, não passa só pelos árbitros. A sociedade tem também uma palavra importante a dizer. Façam-se ouvir para bem do futebol.

Por Marco Ferreira
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Arbitragem

Notícias

Notícias Mais Vistas