Fontelas Gomes espera que vídeo-árbitro diminua contestação ao setor

Defende tratar-se de ajuda preciosa

• Foto: David Martins

O presidente da do Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), José Fontelas Gomes, disse esta quinta-feira à agência Lusa esperar que a introdução do vídeo-árbitro na Liga NOS diminua a crescente contestação aos juízes.

"Esperamos que, com esta medida, esse clima possa melhorar. Se conseguirmos com esta ferramenta diminuir um pouco os erros, claro que esse clima vai melhorar", defendeu Fontelas Gomes, considerando que o vídeo-árbitro constituir-se-á como uma ajuda preciosa.

O presidente do CA advertiu, no entanto que "os erros vão continuar a existir" e que "obviamente, continuará a haver contestação", mas acredita que a nova tecnologia contribuirá para a fazer "diminuir drasticamente".

"É uma medida excelente para que possamos conseguir reduzir um pouco o erro. Não acabar com o erro - isso não vai acontecer -, mas vai certamente ajudar a diminuir o que são considerados os erros mais claros", assinalou.

Fontelas Gomes lembrou que o vídeo-árbitro apenas terá interferência em quatro momentos do jogo (golos, grandes penalidades, expulsões e identificação incorreta de um jogador), notando que 2017/2018 será uma "época de teste" e não apenas para as ábitros.

"Teremos quatro meses de formação intensiva para todos os árbitros da primeira categoria, mas também os clubes terão de ter essa formação e perceber qual a intervenção do vídeo-árbitro", sustentou o presidente do CA federativo.

O presidente da FPF, Fernando Gomes, revelou esta quinta-feira que o recurso ao vídeo-árbitro entrará em vigor na época 2017/2018 na Liga NOS, que estava previsto tratar-se de uma temporada de teste para a introdução do sistema.

Por Lusa
5
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Arbitragem

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.