Fontelas Gomes: «Vídeo-árbitro é para quatro momentos fulcrais»

Presidente do Conselho de Arbitragem da FPF esclarece dúvidas e responde às críticas de José Couceiro

Com o vídeo-árbitro a reunir todas as atenções do futebol português neste momento, José Fontelas Gomes esclareceu as situações em que a nova tecnologia poderá atuar. Como o presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol explica, há "quatro momentos fulcrais".

"O projeto vídeo-árbitro está a começar e tem em vista acabar com os erros grosseiros, aqueles que todos conseguimos descortinar depois de vermos as imagens na televisão. Há quatro momentos fulcrais do vídeo-árbitro e é aí que vai haver intervenção. São os penáltis, cartões vermelhos, golos, que são todos revistos, e a identificação errada de um jogador", começou por explicar o dirigente, à TVI24.

"O vídeo-árbitro vai fazer análise destes quatro momentos para não estarmos a parar o jogo constantamente, que é algo que não se quer. Vai haver intervenção em momentos-chave, que podem decidir o jogo e só esses terão a intervenção do vídeo-árbitro", acrescentou.

Fontelas Gomes admite que "o erro continuará a existir" e que este projeto ainda está "numa fase de testes", mas houve valores que falaram mais alto. "Decidimos, para bem da verdade desportiva e transparência, utilizar já o vídeo-árbitro, exatamente para afastar os pensamentos de alguns, que colocam em causa aquilo que é a decisão do árbitro de forma suspeita. Queremos afastar isso do futebol. Isso não existe na arbitragem", destacou.

Além de garantir que "os árbitros quase não tiveram férias para estudarem o melhor possível", o dirigente mostrou-se confiante para a nova temporada. "Espero que o ruído diminua. Temos trabalhado para isso. É para isso que a Federação tem contribuído também. Se todos quisermos um futebol melhor, um negócio melhor, certamente vão diminuir. Se não, andamos como até aqui: ver na arbitragem o escape para aquilo que vão sendo algumas decisões que se tomam em termos de gestão", sublinhou.

Respostas a José Couceiro e Casillas

Foi logo na primeira jornada que surgiram as primeiras queixas em relação ao vídeo-árbitro. José Couceiro, técnico do V. Setúbal, não gostou da expulsão de Vasco Fernandes contra o Moreirense e criticou a atuação do vídeo-árbitro, algo que Fontelas Gomes não entendeu.

"Não percebo as declarações de José Couceiro. A última decisão será sempre do árbitro em campo. O vídeo-árbitro só auxilia. Mais do que ninguém, os árbitros querem acertar. Com este auxílio, os árbitros vão certamente tentar ao máximo tomar a decisão correta, tal como aconteceu ontem no V. Setúbal, em que o árbitro é o último a tomar a decisão e tomou a decisão correta", atirou.

Também Iker Casillas, guarda-redes do FC Porto, mostrou desconfiança. "É uma opinião que respeito. Como todos os projetos que se iniciam, há uma fase de maturação que as pessoas vão ter de esperar. Há sempre desconfiança, mas apenas posso respeitar", comentou.

Por Pedro Gonçalo Pinto
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Arbitragem

Contacto normal

Lance entre Samaris e Sandro Lima dentro da área do Benfica sem motivo para falta

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.