Soares Dias cumpre "sonho de criança" nos Jogos Olímpicos: «Pés continuam bem assentes no chão»

É a primeira vez que Portugal tem um árbitro de futebol nos JO

• Foto: Luís Vieira/Movephoto
Artur Soares Dias diz ter atingido um "sonho de criança" ao ser nomeado para os Jogos Olímpicos. O árbitro português, que também vai estar no Euro'2020, publicou uma longa mensagem nas redes sociais sublinhando continuar com os "pés bem assentes no chão" mas aponta: "Esta não é uma vitória minha, é uma grande vitória de todos os árbitros que semana após semana entram nos campos, mesmo contra todas as tormentas que lhes aparecem e tentam com esforço desempenhar o seu difícil papel sem que nenhum adepto na bancada os apoie!"

Leia a publicação na íntegra:

"Quando em 1997 terminei o Ensino Secundário e me candidatei ao curso de Ed. física e Desporto, sonhava um dia poder participar no maior evento Desportivo do Mundo, somente ao alcance de poucos, como o próprio lema olímpico refere "Citius, Altius, Fortius", uma expressão latina que significa "mais rápido, mais alto, mais forte".

Quem diria que após 25 anos de carreira como árbitro, o sonho de criança seria atingido!

Quem diria que este marco histórico e único para mim, se tornaria ainda mais valioso quando se trata de pela primeira vez, ter um árbitro de futebol Português presente neste grande evento.

A responsabilidade aumenta, mas os pés continuam bem assentes no chão, pois sempre que saio de Portugal, envergo o velho sentimento dos nossos descobridores de ir mais além levando bem alto o nome de Portugal com enorme sentimento de orgulho!

De salientar que esta não é uma vitória minha, é uma grande vitória de todos os árbitros que semana após semana entram nos Campos, mesmo contra todas as tormentas que lhes aparecem e tentam com esforço desempenhar o seu difícil papel sem que nenhum adepto na bancada os apoie!

Todavia esses adeptos existem, são poucos, são familiares, são os amigos, são poucos mas são fortes e sempre presentes nos momentos certos, sendo certo que um deles continua presente bem lá em cima a reluzir e a proteger me de tudo o que cá por baixo de mais difícil me vai aparecendo...

E para mim, dando seguimento aos ideais de Coubertin, como sempre fiz ao longo da minha carreira e da minha vida: "A coisa mais importante nos Jogos Olímpicos não é vencer, mas participar, assim como a coisa mais importante na vida não é o triunfo, mas a luta. O essencial não é ter vencido, mas ter lutado bem."
Bem haja a todos que enaltecem o Desporto e Portugal"
Por Record
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Arbitragem

Notícias

Notícias Mais Vistas