Record

Campomaiorense apoia Lusitano

QUATRO JOGADORES CEDIDOS

O LUSITANO terá o apoio do Campomaiorense na próxima temporada, onde disputará o Nacional da II Divisão B. O acordo com os raianos pressupõe, para já, o empréstimo de Yuri, Hugo Gomes, Nélson e do espanhol Valdo, mas poderão ainda vir mais atletas. Da época anterior transitam 17 jogadores, registando-se as saídas de José Carlos Barbosa (Esposende), Toni (Farense) e Careca, Cocas e Nuno Curto. Por outro lado, decorrem negociações para a continuidade de João de Deus e de Pateito, que pertence aos quadros do V. Setúbal.

Assegurada está a contratação do brasileiro Alexandre, enquanto Pedro Baroca regressa. O início dos trabalhos provocará, contudo, algumas reestruturações.
Morais Santos refere que o objectivo é "jogar para o 15º lugar, ou seja, a manutenção" e, caso a meta seja conquistada, "será uma festa tão grande ou maior que a da subida".

A prioridade passa, todavia, pelo saneamento financeiro, pois, segundo o presidente do Lusitano, "a situação é ligeiramente melhor, mas continua a ser grave". "O ideal era manter a equipa na II B, pelo menos, três anos", acrescentou. O passivo ronda os 55 mil contos, envolvendo vários encargos com processos judiciais anteriores, pelo que o orçamento para o próximo ano não ultrapassa os 40 mil contos - "não tenho dúvidas de que é um dos mais baixos da II B e mesmo da III Divisão", declarou Morais Santos. As receitas não são suficientes para cobrir as despesas correntes, de forma que a Direcção está a tentar encontrar um patrocinador para a equipa sénior. "Seria a nossa almofada, para estarmos mais tranquilos."

O presidente do Lusitano recorda, porém, as tremendas dificuldades que encontrou, quando tomou posse, sublinhando que o clube esteve em risco de fechar as portas e, durante algum tempo, não pôde receber verbas, devido a uma providência cautelar . "Quem chega é levado a pressupor que o Lusitano está numa boa situação, mas não é verdade. Continuamos a passar por crises. Tivemos vencimentos em atraso durante a época, nunca o escondemos, e não houve problemas de balneário; isso advém da confiança que conseguimos incutir."

ÉPOCA GLORIOSA

O líder da formação eborense mostra-se ainda optimista no futuro. "A Câmara doou um terreno, onde poderemos construir habitações. É a possibilidade de o Lusitano pagar o passivo e ter uma fonte de rendimento."

Em termos desportivos, o clube viveu, na época passada, momentos gloriosos. A juntar à promoção da equipa sénior à II Divisão B, os juniores lograram igualmente a subida aos Nacionais, onde já se encontram os iniciados e os juvenis. "Foi ouro sobre azul", frisou Morais Santos, realçando que os êxitos estenderam-se ainda a outras modalidades.
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Futebol

Notícias

Notícias Mais Vistas

M