Pedro Emanuel: «Darwin ficou um pouco aquém do que eu esperava dele»

Treinador português em entrevista ao programa "Linha de Golo", da New Men

Pedro Emanuel reconheceu - em entrevista ao programa "Linha de Golo", da New Men - que esperava mais de Darwin Nuñez.

"Darwin Nuñez pode dar muito mais. Ficou um pouco aquém do que eu esperava dele. Ele ainda é jovem, é muito exigente com ele próprio, e isso tem o seu lado positivo e negativo. Tem uma particularidade que eu gosto muito: é um jogador da equipa, que trabalha e se sacrifica em prol da equipa. E o Benfica precisa mais dele esta época, mas acho que o Jesus conseguirá tirar o melhor proveito dele", disse.

O treinador que recentemente se despediu do Al Ain da Arábia Saudita (onde esteve durante duas épocas), abordou também aas dificuldades vividas e a pressão que é em manter o nível de exigência.

"Quando vamos para uma segunda época e criamos um nível de exigência maior, as coisas não resultam. Dou o exemplo do Estoril, fizemos um final de época fantástico, no início da seguinte tivemos de vender jogadores e as condições do treinador acabam por ser adulteradas, para as expectativas que são criadas. E o que aconteceu é que a equipa acabou por descer de divisão. Nesta última experiência com o Al Ain ficamos em sexto lugar, muito aquém do normal. Normalmente o que se faz é trocar de treinador e esperar que venha alguém que faça algo diferente, contudo acho que as pessoas acreditaram sempre naquilo que foi não termos as condições para ir mais além, mas estavam contentes com aquilo que tinha sido o trabalho que tínhamos vindo a desenvolver. Acabas o contrato, mas sabes que a equipa tinha muito potencial. Tivemos azar de entrar no clube num momento difícil", explicou o treinador de 46 anos.

Pedro Emanuel explicou o motivo que o levou a deixar Portugal. "No momento que saí do Estoril, esperei que surgisse uma oferta de outro nível cá. Não aconteceu, tomei a decisão de ir para fora. O Chipre foi a melhor opção que fiz naquele momento para mim, um clube mais acima que lute por títulos. Os treinadores portugueses e espanhóis têm muito impacto no mercado da do Médio Oriente. Dão-nos autonomia, reconhecem aquilo que é a competência, e dão-nos argumentos para poder lutar por algo mais, e esses argumentos são os jogadores com bastante qualidade", referiu.

O treinador português falou ainda do FC Porto e da possibilidade de um dia vir a treinar os dragões.

"A chamada cadeira de sonho está bem entregue. O Sérgio tem feito um excelente trabalho. Acho que é um exemplo daquilo que procuram num treinador português, do pouco fazer muito, e ele tem grande mérito nisso. Se desejo assumir o cargo de treinador? Estou preparado para qualquer desafio neste momento, apesar dos meus horizontes mais próximos não passarem por Portugal", concluiu.

Por Record
2
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Futebol

Notícias

Notícias Mais Vistas