Sérgio Vieira: «Brasil foi uma verdadeira experiência de vida»

Treinador do Farense trabalhou durante três anos no país em que o compatriota Jorge Jesus está a ter sucesso

• Foto: Ricardo Nascimento / Record

Sérgio Vieira, atual treinador do Farense, trabalhou no Brasil entre 2015 e 2017, período que considera "determinante" na sua carreira, olhando agora com particular interesse para o sucesso de Jorge Jesus à frente do Flamengo.

"O Brasil é, para mim, o país do futebol e planeei passar por lá algum tempo, acabando por ter uma verdadeira experiência de vida", salienta o treinador.

"Além da parte técnica, com jogadores de enorme qualidade, espalhados por todos os cantos do mundo, o que se vive no futebol brasileiro, nos planos emocional, social e humano e na pressão a que estamos sujeitos é de uma dimensão incrível e ajuda-nos a crescer e a procurar respostas", salienta Sérgio Vieira.

No Brasil, adianta o técnico, "mesmo clubes menos conhecidos fora do país têm massas adeptas consideráveis, que querem vitórias, e a pressão vem também da imprensa, sempre com muitos órgãos de comunicação social presentes diariamente à procura de informações. E acaba por também haver, em muitos casos, uma grande pressão interna, por não estarem presentes princípios e regras de organização e gestão comuns nos clubes europeus".

No balneário de um clube brasileiro "o treinador lida frequentemente com complexos problemas humanos e sociais. Jogadores que conheceram diferentes modelos de educação, com percursos complicados de vida... Alguns desses casos acabam depois por tornar-se públicos, com o crescimento e a afirmação dos futebolistas: episódios de violência por vezes com perda de familiares muito próximos, ligações ao tráfico de droga... Isso obriga um treinador a dispor de ferramentas que lhe permitam colocar em primeiro lugar o lado humano, antes da parte técnica".

Foi no Brasil, no comando do Athletico Paranaense, Guaratinguetá, Ferroviária de Araraquara, América Mineiro e São Bernardo, que Sérgio Vieira deu os primeiros passos como treinador principal, depois de ter sido observador na Académica, Sporting de Braga e Sporting, entre outros clubes. "Uma aprendizagem muito importante, que me obrigou a olhar com maior cuidado para domínios que vão além do trabalho diário nos treinos e dos jogos", sustenta o responsável pelo conjunto de Faro.

Quem está agora a fazer sucesso no Brasil é Jorge Jesus, comandante do Flamengo, líder do Brasileirão. "Apresenta um registo notável até ao momento, embora ainda estejam por disputar as mais duras batalhas, tanto no campeonato como na Libertadores, e convenceu os mais céticos, por força da sua enorme qualidade e capacidade de trabalho", refere Sérgio Vieira.

O principal segredo para o sucesso de Jesus "está relacionado com a escolha do clube em que trabalha. Tinha vários interessados, no Brasil, e optou por um emblema de uma dimensão enorme, que possibilita praticamente tudo, do ponto de vista financeiro, o que as grandes referências do futebol mundial podem proporcionar. Levou a sua equipa técnica, fez importantes reajustes no plantel, e colocou o Flamengo a jogar um futebol de qualidade muito acima dos seus adversários diretos".

Sérgio Vieira lembra que os primeiros tempos de Jorge Jesus no Brasil "não foram fáceis, devido a alguma desconfiança e a uma pressão imensa a que estão sujeitos todos os treinadores, e ainda mais os dos principais clubes. Superou essa fase com o que há de mais importante no futebol, resultados e qualidade exibicional, fruto de um trabalho assente no rigor e na disciplina e na mestria que lhe é reconhecida na vertente tática".

De oito pontos de atraso para a liderança do Brasileirão o Flamengo passou a ter oito de avanço e na próxima quarta-feira disputará a segunda mão das meias-finais da Libertadores, recebendo o Grêmio, depois de ter empatado (1-1) no reduto do adversário. "O futebol é o momento e ainda nada está conquistado. Jesus ganhou o estatuto de Deus entre os adeptos do Fla, sabendo-se, contudo, que um pouco por todo o mundo e ainda mais no Brasil se vai do oito ao 80 muito rapidamente e o inverso também... Será muito bom - e acredito que assim sucederá - se o Jorge Jesus levar o Flamengo à conquista do campeonato e da Libertadores", assinala Sérgio Vieira, dando conta do "significado e prestígio que tal representará para o futebol português e para os seus treinadores, já muito apreciados em todo o mundo e agora com as portas mais abertas no país do futebol".

Por Armando Alves
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Futebol

Como Lage mudou Gabriel

Trabalho posicional, visualização de vídeos e conversa entre ambos foram a receita para o sucesso da aposta

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.