Cinco futebolistas norte-americanas processam federação por discriminação salarial

Atletas foram campeãs do mundo em 2015

• Foto: USA Today Sports

Cinco jogadoras da seleção norte-americana de futebol processaram a federação por discriminação salarial, exigindo ser remuneradas ao mesmo nível dos internacionais masculinos, anunciaram esta quinta-feira as atletas no canal televisivo NBC.

"Acho que temos provado o que valemos ao longo dos anos. Acabámos de ganhar o Campeonato do Mundo e a diferença dos prémios entre homens e mulheres é enorme", denunciou Carli Lloyd, que foi designada melhor jogadora do Mundial de 2015, realizado no Canadá.

Além de Lloyd, a queixa foi subscrita pelas internacionais Megan Rapinoe, Rebecca Sauerbrunn, Hope Solo e Alex Morgan, que também integraram a seleção dos Estados Unidos que conquistou o terceiro título mundial, em sete edições da competição.

A federação norte-americana recusou comentar a queixa apresentada pelas jogadoras na Comissão para a Igualdade de Oportunidades no Emprego, por ainda não ter tido conhecimento dos seus fundamentos, mas já se manifestou "contrária a esta iniciativa".

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Futebol Feminino

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.