Jorge Costa põe quatro jogadores a treinar à parte

Jubal, Kuca, Bruno Lopes e Sancidino afastados do grupo

• Foto: Manuel Azevedo

A derrota em Famalicão que fez soar o alarme em Arouca já teve consequências para quatro elementos do plantel. Jubal (na foto), Kuka, Bruno Lopes e Sancidino foram afastados do plantel e colocados a trabalhar à parte por decisão do técnico Jorge Costa.

Segunda-feira, dia em que o plantel viu a folga ser cancelada e o presidente Carlos Pinho foi ao balneário, o quarteto agora proscrito chegou a subir ao relvado mas para o deixar poucos minutos volvidos e realizar uma sessão de ginásio. Esta terça-feira, por volta das 8 horas, os jogadores em questão treinaram-se sob a orientação de Jorge Leitão enquanto o resto do grupo apenas deu início ao trabalho às 10 horas.

O descontentamento interno, ao que Record apurou, dirige-se sobretudo a Jubal. O defesa-central, que na época passada realizou 39 jogos, desiludiu na jornada de estreia da 2.ª Liga e segunda-feira foi o primeiro a abandonar a reunião da equipa, numa atitude que o clube entendeu como falta de comprometimento com o projeto.

Sujeito a críticas está ainda Kuca, extremo que também transitou do escalão principal e que não tem consigo integrar-se no patamar de exigência que Jorge Costa definiu para atacar a subida de divisão. O cabo-verdiano quer mudar-se de imediato para a 1.ª Liga, mas a sua situação complicou-se bastante.

Já Bruno Lopes, não é primeira opção e pretende voltar ao Brasil. Quanto a Sancidino, a avaliação dos responsáveis arouquenses aponta para um problema de mentalidade, ao que o nosso jornal apurou.
Pouco utilizado em 2016/17, chegou à titularidade em Famalicão na sequência da lesão de Adílio e da fase de adaptação que Bertaccini atravessa mas acabou substituído logo aos 30'. As queixas físicas que apresentou foram entendidas como "simuladas", pelo que também foi afastado do plantel, dado que Jorge Costa, que manifestou a sua irritação logo durante o jogo, não admite faltas de profissionalismo.

Perante este cenário, com quatro jogadores sem futuro no clube e a época oficial já em andamento, parece inevitável uma investida ao mercado para garantir a competitividade do plantel e injetar ambição. Isto quando apenas estava nos planos a contratação de um ponta-de-lança para colmatar a saída de Tomané para Tondela. Nos corredores diretivos de Arouca, há quem suspeite que a exibição vistosa frente ao P. Ferreira na Taça CTT, mesmo não tendo sido coroada com o triunfo, reacendeu o assédio a alguns jogadores que pretendem voltar para a 1.ª Liga antes do fecho das inscrições, no final do mês.

Por agora, o grande objetivo de Jorge Costa é o de vincar uma liderança forte, deixando claro que a qualidade, por si só, não é suficiente para formar um candidato à subida. Falta de vontade e displicência são atitudes banidas do balneário de forma a que a equipa se mantenha esforçada e focada a 100%. Para domingo está agendada uma importante receção ao FC Porto B onde o escrutínio vai ser muito apertado.

Autor: Ruben Tavares

1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Arouca

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.