Presidente da Briosa lamenta incidentes; líder do Famalicão fala em "famílias em pânico"

Jogo entre as duas equipas ficou marcado por confrontos entre os adeptos

• Foto: Bruno Teixeira Pires

Na sequência dos incidentes verificados este domingo no encontro entre a Académica e o Famalicão, em Coimbra, os presidentes de ambos os clubes prestaram declarações públicas, lamentando os acontecimentos. 

Em comunicado, o dirigente máximo dos famalicenses, Jorge Silva, elogiou os seus adeptos, que "deram uma demonstração clara de apoio e fervor clubístico", que ajudam o clube a alcançar "um crescimento sustentado e no caminho que definimos para nos fazer crescer." Por essa razão, Jorge Silva repudiou "as lamentáveis agressões registadas no final do jogo", lembrando "o arremesso de cadeiras das bancadas superiores do estádio em direção ao setor onde estavam os adeptos do Futebol Clube de Famalicão, que depois foram encaminhados para o exterior quando não estavam ainda criadas as condições de segurança necessárias para a sua saída."

"Lamentavelmente entendemos que não foram tomadas as medidas preventivas que um jogo de mais de 4000 mil adeptos exigia. A força policial com 11 elementos é manifestamente escassa para conseguir conter qualquer alteração da ordem pública, como foi o caso", criticou, prosseguindo. "O Futebol Clube de Famalicão promove todas as semanas a apologia de um espetáculo desportivo e procuramos dar contributos positivos para que, dentro e fora das quatro linhas, o futebol seja e saia valorizado."

"O clube não se vai desviar do caminho definido", lê-se, ainda, no site oficial do clube. "Vamos continuar a defender aqueles que, domingo após domingo, acompanham a equipa. São famílias inteiras que hoje viveram momentos de pânico à saída do estádio. Não nos revemos nos atos registados e vamos, junto das devidas instâncias e organismos, defender intransigentemente os nossos adeptos e o futebol", concluiu Jorge Silva.

Já o presidente da Académica, Pedro Dias Roxo, até ao momento, surgiu apenas na conferência de imprensa após o jogo, ao lado de Ricardo Soares, para "lamentar tudo aquilo que se passou durante esta tarde" antes de se insurgir contra a arbitragem do encontro (empate a duas bolas) e garantir que a Académica vai subir de divisão porque "joga muito mais" do que as outras sequipas.

Recorde-se que uma mulher ficou ferida durante os confrontos e, fora do estádio, a polícia foi obrigada a intervir para separar os adeptos dos dois clubes.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de 2ª Liga

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.