Costinha traça meta no início dos trabalhos do Nacional: «Regresso à 1. ª Liga é único objetivo»

Treinador está de volta ao clube com o qual se sagrou campeão da 2.ª Liga na época 2017/18

• Foto: Hélder Santos
O Nacional, equipa que foi despromovida à 2.ª Liga, deu esta quinta-feira início aos trabalhos da época 2021/22, sobre a orientação do treinador Costinha, que aponta para o regresso à 1.ª Liga como "o único objetivo".

Neste regresso ao Nacional, que levou ao título da 2.ª Liga e consequente subida de divisão na época 2017/18 - mas não evitando a descida na temporada seguinte -, Costinha mostrou-se satisfeito pelo retorno a um clube onde se diz "sentir um homem da casa" e "feliz e acarinhado", ressalvando que "nunca o descartaria se fosse convidado".

"O facto de ter um conhecimento profundo daquilo que é o clube e o facto de o clube estar representado por pessoas que sei a qualidade que têm e podem pôr ao seu serviço e daquilo que pretendem que o clube seja no futuro, levou-se a aceitar este desafio", justificou.

O técnico acrescentou: "Há muito tempo que sabiam das minhas intenções. Sigo o clube por gosto, pois é um clube que me diz bastante e que gosto que tenha sucesso e a partir da opção ter recaído sobre mim, quero fazer parte desse sucesso e ajudar o clube a chegar ao lugar que pretende".

Costinha, para além de já ter sido treinador do clube, foi também seu jogador, na temporada de 1996/97, ajudando o clube a subir à 2.ª Liga, de onde se transferiu para os franceses do Mónaco.

O objetivo para esta temporada é apenas um, o regresso à 1.ª Liga. "A primeira divisão é o único objetivo deste clube. Não há segundos objetivos. Prefiro ter um objetivo concreto, por mais difícil que possa ser", disse, convictamente, apesar de admitir que "vai ser uma época difícil, pois há boas equipas, bons treinadores e jogadores na 2.ª Liga".

Para atingir o objetivo desejado, Costinha afirma que "a qualidade do grupo, humana em primeiro lugar e, depois, futebolística", será muito importante "para poder estar ao nível dos pergaminhos do clube".

O novo técnico dos insulares promete trabalho e ambição: "Nenhum treinador do mundo pode prometer o que quer que seja, o que posso garantir é dedicação, empenho e ambição para atingir os objetivos", afirmou, comentando ainda o reforço do plantel.

"Sabemos o nível de apoios que existem agora com a pandemia, que não são tão efetivos como foram no passado, o que torna tudo mais complicado, mas o clube está na disposição de trazer os melhores, para ajudar o treinador a ser mais competente. Precisamos de encontrar mais soluções para a equipa, entendendo a minha forma de estar e de jogar. Serão feitos os retoques normais e naturais", sublinhou a concluir.

O Nacional continuará a preparação para a nova temporada no Estádio da Madeira, até à realização de um estágio que terá lugar em Penafiel, entre 16 e 21 de julho e que contemplará a realização de alguns jogos de preparação.

O clube madeirense anunciou esta quinta-feira que Tomás Faustino será o 'team manager', reforçando assim a estrutura do futebol profissional.

Plantel provisório do Nacional para 2021/2022:

- Guarda-redes: Daniel Guimarães, António Filipe, Rui Encarnação e Vágner Silva (ex-Karabakh, Azerbaijão).

- Defesas: Kalindi, Rúben Freitas, Júlio César, Rui Correia, Witi e Rafael Vieira (ex-Académica).

- Médios: Alhassan, Vítor Gonçalves (ex-Casa Pia), Danilovic, Jota (ex-Leixões), Mabrouk Rouai, Francisco Ramos, João Camacho e Vincent Thill.

- Avançados: Dudu, Bryan Róchez, Bruno Gomes (ex-Paraná, Brasil) e Gergely Bobál.

Treinador: Costinha.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Nacional

Notícias

Notícias Mais Vistas