Luís Freire: «Não consigo perceber esta marcação de jogos, se calhar já estamos na Premier League»

Treinador do Nacional crítico com o calendário após triunfo sobre o Tondela

• Foto: Hélder Santos

Luís Freire mostrou-se profundamente satisfeito com a vitória (2-0) do Nacional na receção ao Tondela, em jogo da 11.ª jornada da Liga NOS, sublinhando que a entrada logo com golo - de Rúben Micael - acabou por ajudar a equipa no decorrer da partida.

"Marcamos logo no primeiro minuto e não há melhor maneira de começar um jogo. Numa grande jogada de futebol, tudo ao primeiro toque, com três ou quatro jogadores na área, com tudo muito bem feito. Acabamos por ser premiados no primeiro remate que fizemos, pelo Rúben Micael que merecia o golo, por tudo o que é dentro do nosso grupo", começou por dizer o técnico dos insulares.

Favoritismo propositado

"Assumimos publicamente que éramos favoritos e que queríamos ganhar o jogo. Foi a melhor maneira de reforçar a confiança. Esperávamos que o adversário viesse num sistema de três centrais, que costuma utilizar, mas não o fizeram e isso baralhou-nos taticamente, pois o Tondela apareceu como uma equipa totalmente diferente taticamente, num 4x3x3. O Tondela reagiu vem e criou algumas situações de perigo. Mas ao longo do jogo fomos acertando e sendo sempre perigosos. Quando o Tondela ficou reduzido a menos um elemento, voltamos a assentar o nosso jogo. Tirámos o Nuno Borges, que já tinha um amarelo, e colocámos o Alhassan."

Atitude "extraordinária" dos jogadores do Nacional

"Vínhamos de três derrotas para o campeonato e estávamos a ganhar um rival direto. O Tondela arriscou e teve o mérito de nunca se render. Os meus jogadores tiveram uma atitude extraordinária, acima de tudo em termos mentais. Mas quando perdemos não está tudo mal e quando ganhámos não está tudo bem."

Críticas ao calendário

"Temos gerido com grande controlo emocional e capacidade de manter o foco. Temos um grupo forte, unido e trabalhador. Não somos Liga Europa de certeza. O nosso objetivo é a permanência e vamos continuar com esse discurso, porque é esse que interessa ao Nacional. Fizemos cinco golos nos últimos dois jogos e criámos imensas oportunidades. Há treze dias que não folgamos. Não consigo perceber esta marcação de jogos, se calhar já estamos na Premier League. Estou eternamente grato aos meus jogadores pelo seu esforço", atirou.

Por Record com Lusa
5
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Nacional

Notícias

Ultimas de Nacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Notícias Mais Vistas