Manuel Machado: «Sporting vive uma fase de grito de revolta»

Treinador espera "leão ferido"

Manuel machado
Manuel machado • Foto: Hélder Santos
O treinador do Nacional disse esta sexta-feira estar à espera de "um leão ferido" na receção ao Sporting, relativa à 22.ª jornada da Liga NOS, uma semana depois dos leões terem perdido a liderança isolada.

Contudo, Manuel Machado garantiu que o Nacional pretende pontuar em casa, apesar de reconhecer que o adversário tem grandes jogadores, capazes de fazer a diferença

"Espero um Sporting igual a si próprio. É líder do campeonato [com os mesmos pontos que o Benfica] e isso diz tudo. É uma grande equipa, que vive uma fase de 'grito de revolta', que tem um plantel requalificado e com um leque de jogadores riquíssimo, que é muito bem liderado", destacou Manuel Machado na conferência de imprensa de antevisão ao jogo.

O técnico garantiu que o Nacional vai ser "igual a si próprio", porque não pode "inventar coisas novas a três meses do final do campeonato".

"O que esperamos é estar num bom dia e sermos competentes, impedindo que o Sporting faça o seu jogo e ter competência para concretizar alguns momentos que nos permitam ganhar o jogo, sendo que, para tal, vamos ter uma estratégia adequada", destacou.

O treinador da equipa madeirense reconheceu que irá defrontar um adversário "com um nível de ansiedade redobrado pelo resultado do 'clássico' desta noite, entre Benfica e FC Porto", mas considera que "isso não será determinante".

"O Sporting não deixará de ter pressão. O campeonato está a aproximar-se do último terço, por isso estamos numa fase onde as coisas se decidem e, nestes momentos, é evidente que esse grau de ansiedade cresce, mas é algo normal, seja qual for o objetivo. É algo controlável e que se treina. Uma equipa com a dimensão do Sporting vai minimizar o prejuízo que essa ansiedade possa trazer", vincou Manuel Machado.

O treinador do Nacional acredita também que a posição ocupada pela equipa no campeonato (15.º classificado, com 21 pontos), não reflete a qualidade da equipa.

"Não temos sabido nem conseguido fazer pontos e isso acabou por nos penalizar em alguns momentos. Vimos de duas vitórias [Oriental e Tondela] e um empate [Académica], sendo que o empate foi concedido nos últimos minutos, caso contrário podíamos estar a contar com três vitórias consecutivas", afirnou.

O Nacional, 15.º classificado, com 21 pontos, recebe o Sporting, segundo colocado, com 52, na noite (18:30) de sábado, em jogo da 22.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que será arbitrado por Bruno Paixão, da Associação de Futebol de Setúbal.

JOYF // NF

Lusa/fim

Por Lusa
3
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Nacional

Notícias

Notícias Mais Vistas