Referência ofensiva poderá ser solução

Em detrimento de duas unidades móveis

• Foto: Simão Freitas

O Rio Ave deixou boas indicações na Eden Arena, em Praga, apesar do empate (0-0) registado frente ao Slavia, no jogo da passada 5ª feira. Aliás, rezam as crónicas que só faltaram os golos aos vila-condenses, que até podiam ter sido derrotados não fosse a eficácia de Cássio.

Ora, o Rio Ave terá de marcar golos se quiser passar a eliminatória sem recurso a prolongamento e grandes penalidades. Para isso, o poder de fogo terá de ser maior que aquele que (não) foi demonstrado na República Checa e, por isso, Nuno Capucho poderá recorrer a uma referência ofensiva, em detrimento de duas unidades móveis.

Na partida de Praga, o técnico rioavista apostou em Gil Dias e Yazalde, mas amanhã poderá chamar Guedes ou Heldon para reformular a frente de ataque. Ter maior presença na área pode ser determinante neste encontro decisivo da terceira pré-eliminatória da Liga Europa. Ainda relativamente ao onze, Capucho deverá manter a maioria da estrutura, tendo em conta o bom comportamento do coletivo na República Checa.

O encontro de amanhã está a gerar grande entusiasmo em Vila do Conde e até tem havido filas junto à loja do Rio Ave para a compra de ingressos. Os sócios têm direito a dois bilhetes extras de forma gratuita, ao passo que o público geral tem ainda disponíveis entradas a 5 euros para a bancada descoberta.

Por André Gonçalves e Luís Leal
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Rio Ave

Notícias

Notícias Mais Vistas