António Barbosa: «Temos de respeitar o símbolo que temos ao peito»

Técnico do Varzim entende as várias adversidades que o Feirense pode apresentar

• Foto: Hélder Santos

Depois de entrar numa sequência de resultados positivos, o Varzim tem agora um verdadeiro teste contra o primeiro classificado da Liga Sabseg, o Feirense. António Barbosa, treinador dos poveiros, quer continuar a proporcionar um bom momento aos adeptos.

"O sucesso ajuda a que as coisas fluam quando corre devidamente. As coisas tornam-se ligeiramente mais simples, se bem que nunca foram tão complicadas assim", revela o técnico, entendendo que o seu plantel tem espaço para melhorar à medida que o campeonato avança.

"Os nossos jogadores trabalham, dedicam-se e empenham-se. Mas nós entendemos que devemos continuar, temos de melhorar porque na semana passada demos bastantes oportunidades ao adversário. Temos de ter determinação para nos levar às vitórias, isto é o caminho que devemos seguir", admitiu António Barbosa, revelando em plena conferência de imprensa algumas nuances do jogo dos fogaceiros.

"Eles marcam muitas vezes golo na fase inicial, são organizados ofensivamente de forma muito interessante, com mudanças entre o Fábio Espinho e o Vargas, com o Teles a fazer movimentos interiores, mas a defender como um extremo. O Zé Ricardo dá profundidade nos corredores, assim como o Diga. São uma equipa perigosa em todos os setores", disse o treinador varzinista.

Apesar de tudo isto, o líder dos elementos da Póvoa de Varzim traça um caminho para a equipa: "  Vamos jogar para ganhar, porque é isso que a equipa e o clube querem. Temos as nossas ambições e objetivos e, sobretudo, temos de respeitar o símbolo que temos ao peito", referindo-se, obviamente, à massa adepta e ao peso histórico do Varzim.

António Barbosa também esclareceu a sua forma de pensar sobre o desenrolar da partida deste domingo: " Tudo depende de um golo. Se houver um golo, tudo muda. No campeonato, frente ao Rio Ave, eles impuseram-se. Foi um resultado de imposição, não feriram o adversário, mas não os deixaram jogar. Acredito que seja o jogo entre o gato e o rato, mas também acredito que será um jogo ditado por quem fizer o golo primeiro, até porque defensivamente só sofreram três golos até ao momento. Vamos atrás do que queremos".

Por Record
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Varzim

Notícias

Notícias Mais Vistas