Paulo Alves quer bom resultado frente ao Sp. Covilhã

Treinador do Varzim fez a antevisão do encontro da 4.ª Jornada da 2.ª Liga

• Foto: Facebook Varzim

O Varzim parte para a Covilhã com a ambição de obter um bom resultado. A equipa ainda não sofreu qualquer derrota, nem tão pouco golos, já que o guarda-redes Ricardo Nunes tem sido intransponível nos três jogos disputados.

O treinador Paulo Alves lamenta a falta de tempo para treinar, mas acredita que se está "sempre a fazer coisas para que o processo de crescimento seja o mais rápido possível, assimilado por todos".

Para já o jogo que se segue é nesta sábado, frente ao Sp. Covilhã, frente a um adversário que está a atravessar problemas internos, com um arranque oficial na 2.ª Liga com três derrotas em outros tantos jogos, que o coloca na última posição. Para o treinador do Varzim esses pormenores não são levados em conta

"Independentemente do passado recente nós temos a noção que uma deslocação à Covilhã é sempre complicada. Uma equipa com bons jogadores. É verdade que não atravessa um bom momento, e que ficou sem treinador esta semana, mas para nós é indiferente se não tivermos a capacidade de impor-nos no jogo. Temos a noção em mente que o adversário quer reagir, e já, ao mau inicio na Liga. Por isso mesmo será mais uma dificuldade acrescida para o Varzim. Estamos preparados para trazer pontos e vencer se possível for. Queremos também elevar a qualidade de jogo com bola e oportunidades de golo e eficácia, disse."

COVID-19 MOTIVA BAIXA

A direção do Varzim acaba de anunciar através do seu site que "foi detetado um caso positivo assintomático nos testes COVID-19 realizados a todo o plantel, e o atleta encontra-se bem e passará a cumprir o isolamento nas condições pré-definidas no plano de contingência estabelecido pela DGS". O nome do atleta que se encontra em quarentena não foi divulgado, mas será uma baixa para a constituição do plantel, para já na deslocação à Covilhã. O treinador do Varzim desdramatiza, no entanto a situação, com a justificação. 

"Em termos do enquadramento do que vivemos na sociedade e não só no futebol, isto será um facto que iremos conviver futuramente e durante bastante tempo. Não tenho qualquer dúvida. Oxalá seja o mais rápido possível. Temos que nos adaptar. Ninguém vai ficar imune a isto. O Varzim tem feito e cumprido de forma exemplar os protocolos da DGS. Alertamos os jogadores para tudo isso, mas pelos vistos este virus é tão traiçoeiro e incerto que é impossível controlar tudo. Temos que saber lidar com ele. Temos um caso. É uma situação que oxalá seja rápida. O jogador seguiu as normas legais neste caso. Já muitos clubes tiveram essa experiência e provavelmente irá tocar a todos. Nós, como equipa técnica, vamos ter a capacidade de resolver esses problemas em termos de esquematização dos jogos", garantiu.

Entretanto há alternativas para debelar a situação, segundo garante Paulo Alves.

"Estávamos e estamos preparados. O protocolo diz que no plantel se tivermos 8 jogadores com casos negativos temos que jogar. É algo que não é agradável ter que mudar jogadores, quer sejam titulares ou não. Era importante que jogadores menos utilizados jogassem mais para poderem entrar na equipa com melhor integração e ritmo. Não é algo que seja problema só para mim, mas sim como para qualquer treinador", salienta o treinador dos Lobos do Mar.

Por Luís Leal
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Varzim

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.