Armando Evangelista: «Continuar ou não no Vilafranquense tem tempo, falaremos sobre isso»

Contrato do treinador expira a 30 de junho

• Foto: Hélder Santos

O contrato de Armando Evangelista enquanto treinador do Vilafranquense expira a 30 de junho deste ano mas o técnico tem outra prioridade neste momento.

"Face a esta situação da pandemia, há uma série de fatores para se resolver porque há muitas questões por se responder e estamos focados em ajudar primeiro os jogadores. Isso deixa-me preocupado. Estamos a falar em jovens e pessoas que têm família. Poderão estar vários meses sem competição, sem ordenado, sem saber o rumo que têm de dar à sua vida. Neste momento estamos mais focados nisso. A administração da SAD está a tentar ajudar a ficarem mais calmos com esta situação em que vivemos e todos estes problemas. A questão do Armando Evangelista continuar ou não tem tempo e de certeza que vamos falar sobre isso. Será a minha próxima preocupação e também da SAD: resolver o nosso futuro", reiterou o treinador do Vilafranquense em declarações ao programa 'Quarentena da Bola', no Facebook.

Duração curta do contrato

"O projeto é muito ambicioso. Os investidores passam exatamente isso, têm ambição, querem fazer acontecer e dotar o clube de uma estrutura profissional. Quando assinei pelo Vilafranquense fi-lo por quatro ou cinco meses, até final da época e deixar assim ao critério das pessoas após aquele tempo fazer uma reavaliação daquilo que achavam do Armando Evangelista e a sua equipa técnica para puderem prolongar o vínculo. Gosto de trabalhar mas onde sou desejado. Não têm de levar comigo porque há um contrato no papel. Não. Prefiro fazer um contrato curto e depois analisam, avaliam o nosso trabalho. Se as duas partes consideram que há condições para continuar este projeto vamos em frente, vamos pôr as mãos ao trabalho e o melhor que conseguimos."

A importância de Henrique Sereno

"Eu sou convidado para treinar por um grupo de pessoas onde estão incluídos o Henrique Sereno, Paulo Cabral e o Rodolfo Frutuoso. Reuno a primeira vez com essas pessoas. É a ligação que senti neles, na vontade de fazer crescer o clube... Eu vi que havia união no clube. Havia um tronco comum, cada um com as suas funções, mesmo havendo dificuldades por o clube não jogar no seu campo e por a equipa ter de fazer 50 quilómetros para treinar todos os dias, com alguns jogadores da margem do Sul do Tejo a terem de se levantar quase de madrugada. Estão cientes das dificuldades mas querem dar a voltar por cima às mesmas, não só o Sereno, do Cabral e do Rodolfo mas toda a equipa de trabalho. Deram-me essa confiança que era o projeto certo."

Primeira Liga como objetivo

"Sou uma pessoa muito ambiciosa. As pessoas que trabalham comigo também o são. Voltar à 1ª Liga é uma questão fundamental porque acho que estou preparado para tal e devo isso à 1ª Liga e ela deve-me isso a mim. Pareço aquela criança a quem deram um gelado mas tiraram-no logo. Tenho uma vontade enorme. Tenho-me preparado para isso, é contínua. Esse é o meu espaço. Tenho ambição de conquistar esse espaço. Hoje em dia, um treinador só ganha com outro tipo de experiências. Espero um dia ter a oportunidade de sair de Portugal e vivenciar outras culturas, outro futebóis e outras ideias porque acho que vai ser um marco importante em relação à aprendizagem que eu quero ter em relação ao futebol."

Por Flávio Miguel Silva
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Vilafranquense

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.