Filipe Moreira: «Não tivemos capacidade de acreditar com um homem a menos»

Vilafranquense viu Casa Pia operar reviravolta após vermelho a China

• Foto: Ricardo Nascimento

Filipe Moreira analisou a derrota do Vilafranquense no terreno do Casa Pia, por 3-2, já depois de os ribatejanos chegaram a uma vantagem de dois golos assinados por João Vieira. Para o técnico dos forasteiros, faltou "acreditar" após a expulsão de China, com duplo amarelo, ao minuto 60.

"Vínhamos para este jogo numa fase de crescimento. Sentimos isso no processo de treino, valorizamos o compromisso que estamos a ter a esse nível. Sentimos a equipa preparada na competição para responder às exigências. Entrámos em campo com muita personalidade. O Casa Pia alterou a forma de jogar em relação aos últimos jogos em que vinha de três derrotas. A equipa cumpriu, percebeu o plano estratégico para este jogo. Na minha ótica, na 1ª parte fomos superiores, com mais posse de bola e tivemos duas ou três ocasiões e conseguimos finalizar com qualidade. O Casa Pia também teve um ou outro lance que poderia ter dado em golo. Quando acabámos a primeira parte sentimos a equipa bem. Está com personalidade, faltou um ou outro momento na decisão na transição ofensiva para se tornar ainda mais efctiva na finalização. A primeira parte indicava que a primeira parte poderia ser um bom tónico para nós no resultado final. Avisei os jogadores que a equipa do Casa Pia iria alterar a forma de jogar ao intervalo. Sendo 11 contra 11, o jogo aparentemente continuava da mesma forma. Senti a equipa com personalidade e a perceber as fases do jogo e a compreender o que se queria", começou por ressalvar o técnico da equipa de Vila Franca de Xira.

"De repente, um lance altera completamente isto tudo. Um lance que dá penálti e a expulsão do jogador. Nunca falei de um árbitro em toda a minha carreira mas foi um lance determinante que dá o 1-2. Foi um tónico para o adversário e a nossa equipa não conseguiu sofrer esse choque que foi muito forte. O adversário faz o 2-2 e animicamente o Casa Pia torna-se muito mais complicado. Era muito mais difícil para nós acreditar que eventualmente era possível ganhar o jogo. De repente, numa transição ou erro posicional ou jogada de corredor aparece o terceiro golo. A equipa reagiu na parte final, mais com o coração do que com a cabeça. Houve um ou outro canto e livre. No computo geral, o que costumamos dizer destes jogos é que a ganhar 2-0 tudo pode acontecer! Com um homem a menos, tornou-se ainda mais fácil para o adversário. A parte emocional e do subconsciente trabalhou muito mais na equipa do Casa Pia do que na minha apesar de por vezes as equipas com menos um jogador se transfigurarem. Hoje não tivemos essa capacidade de acreditar com um homem a menos, mas em vantagem no marcador. Não fomos aquilo que eu queria que tivesse acontecido", completou Filipe Moreira.

Por Flávio Miguel Silva
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Vilafranquense

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.