Henrique Nunes e o início do campeonato: «Temos de mudar o chip»

Arouquenses iniciam Série B em casa do Trofense

• Foto: Ricardo Jr

Uma década depois o Arouca não vai competir nas competições profissionais e Henrique Nunes é o homem escolhido para devolver o clube à 2ª Liga, da qual desceu na última época. A primeira jornada da Série B do Campeonato de Portugal dita um confronto fora com o Trofense.

"Há um leque de cinco, seis equipas que podem perfeitamente lutar pela subida. O nosso adversário é um adversário difícil e sabemos das reais dificuldades que vamos encontrar. Não estamos nem de perto no nosso auge. Há formas de jogar que eu prefiro. Desde logo, não sou nada a favor da posse de bola única e exclusivamente pela posse de bola. Marcamos em todos os jogos de pré-época e, nos últimos quatro, sofremos apenas um. É um bom indicador", analisou o treinador, de 64 anos.

O técnico que colocou o emblema das terras de Santa Mafalda pela primeira vez nos escalões profissionais, em 2009/10, salienta que há muita qualidade no plantel, mas as contingências do Campeonato de Portugal vão pedir muito trabalho. "No nosso plantel há muita qualidade, mas vamos ter de trabalhar muito porque estamos num campeonato muito desgastante. Temos de mudar o chip. Vamos competir numa prova onde o contacto físico é permanente", considerou.

O ex-treinador do Águeda vai ainda aos pormenores e diz o que acha que falta melhorar no jogo da sua equipa, bem como a posição que ainda falta reforçar para o plantel ficar fechado. "Acho que ainda não pressionamos bem. Nós organizamo-nos bem, fechamos bem os espaços, não concedemos espaço ao adversário, mas nós, sendo sérios candidatos, temos de assumir as despesas do jogo e ir para cima do adversário. Desde o início da pré-época que ando a pedir um central. Precisamos de quatro opções para o centro da defesa. A partir daí teremos o plantel fechado e dá-nos todas as garantias para conseguirmos o nosso objetivo", avalia Henrique Nunes, ele que tem e usará o 4x3x3 como sistema predileto.

Instado ainda a responder se sente no plantel alguma ansiedade neste momento, o técnico teve uma resposta curiosa: "Sim, a equipa está ansiosa e é bom que esteja. Eu também ando há muitos anos nisto e também estou. É importante que a equipa esteja consciente das dificuldades que vai encontrar."

O avançado Heliardo, ainda a recuperar de uma lesão grave num joelho, o médio André Salvador, com uma contratura num pé, e o guarda-redes Moussa Traoré, cujo certificado internacional ainda não chegou, são as baixas do Arouca para a partida de amanhã, com início às 17h.

Por Ruben Tavares
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Campeonato de Portugal

Notícias

Notícias Mais Vistas