Ricardo Fernandes explica toda a confusão no Amarante-Trofense

Médio, que foi campeão europeu pelo FC Porto, conta a Record todos os insultos do árbitro

• Foto: Facebook Ricardo Fernandes

Ricardo Fernandes, campeão europeu pelo FC Porto em 2003/2004, joga atualmente no Trofense, do Campeonato Prio, e a Record contou como viveu o jogo de domingo em Amarante, em que a sua equipa abandonou o relvado aos 76 minutos, com muitas queixas do árbitro Pedro Miguel Maia, da Associação de Futebol do Porto. "Jogo futebol desde os 9 anos, ou seja há 30, e nunca tinha visto nada assim. Um árbitro que começa o jogo a insultar e a provocar os jogadores: 'o que queres c..., filho da p..., toma lá o amarelo, filho da p...', e isto foi logo no início do jogo. Depois, o 1.º golo é falta, o 2.º fora de jogo e os insultos continuavam e assim sucessivamente. Foi uma coisa impressionante, só visto." 

O médio, que em 2002/2003 alinhou pelo Sporting, relatou a Record que o ambiente só não descambou ainda mais por que os jogadores não responderam às provocações do árbitro. "Conseguimos chegar ao final do jogo sem que ninguém tivesse terminado a carreira de futebolista, que era o que ele [árbitro] deveria querer. Todos os jogadores tiveram bom senso, caso contrário poderia ter existido uma batalha campal", disse, negando as notícias da destruição do banco de suplentes.

"A equipa do Trofense não destruiu nada, o que acabou por cair, no meio da confusão, foi uma maquete que estava junto ao balneário. Mas nada ficou destruído. Aliás no final, os adeptos do Amarante estiveram a falar connosco", explicou o médio que no curriculo tem também passagens pela Académica, APOEL, Metalurh Donetsk, Anorthosis, AEL Limassol, Hapoel Be´er Sheva, Panetolikos e DOXA.

O Trofense abandonou o jogo da 13.ª jornada do Campeonato Prio aos 76 minutos, numa altura em que a equipa já tinha sido castigada com três expulsões: Cléber viu dois amarelos aos 10′ e aos 50 minutos, enquanto Kadu (no banco aos 51') e Mica (75′) viram o vermelho direto.  

"Foi de tal forma impressionante que até os jogadores do Amarante nos diziam para ter calma, para que não fizéssemos nada, que tinham sido avisados que íamos encontrar um sujeito muito baixo nível. Isto aconteceu para o lado do Trofense, mas poderia ter sido para o outro. E a preocupação dos jogadores adversários era acalmar-nos. Esse senhor [Pedro Miguel Maia] deveria estar na selva", afirmou Ricardo Fernandes. 

"Abandonar o jogo foi um ato natural, não foi pensado, foi a solução", garante o médio, mostrando-se preocupado com o futuro do clube, que atualmente ocupa o 5.º lugar com 19 pontos. "Vamos ver se não teremos de fechar portas... não sei se o clube vai aguentar uma crise destas, não sei que consequências pode ter...", disse.  




Por Marta Correia Azevedo
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Campeonato de Portugal

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.