Autocarro com adeptos do V. Setúbal apedrejado no regresso de Guimarães

Estilhaços causaram ferimentos ligeiros e obrigaram à intervenção do INEM

• Foto: Movenotícias/Arquivo

O autocarro em que seguiam mais de 70 adeptos do V. Setúbal foi apedrejado, na noite de sábado, na A7, em Famalicão, no regresso do jogo da Liga NOS em Guimarães, provocando três feridos.

O arremesso de pedras por um grupo não identificado partiu um dos vidros do veículo, que transportava também membros das claques VIII Exército e Grupo 1910. Os estilhaços causaram ferimentos ligeiros e obrigaram à intervenção do INEM.

Quem também esteve na área de serviço de Famalicão, onde foi prestado auxílio aos adeptos do clube sadino, foi a Polícia de Segurança Pública (PSP), que registou a queixa dos adeptos, revelou o vice-presidente do V. Setúbal Paulo Gomes, que se deslocou ao local quando soube do sucedido.

"O caso está entregue às autoridades. Respondi no auto, juntamente com outras testemunhas, e apresentámos queixa, apesar de não sabermos quem fez o ataque. Vamos esperar um pouco. Só depois veremos qual o passo seguinte a tomar", avançou.

O dirigente, que assistiu no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, ao empate 1-1 no duelo entre Vitórias, escusa-se a apontar responsáveis.

"Não se conseguiram identificar os adeptos, mas presume-se que nem devem ser do Vitória de Guimarães. Segundo a polícia, há um grupo de pessoas que tem feito atos deste género com vários clubes", disse.

Paulo Gomes relatou à Lusa o cenário que encontrou quando chegou junto ao autocarro.

"Um vidro duplo enorme, que apanhava três filas do autocarro, que tinha lotação para mais de 70 pessoas, estilhaçou e houve adeptos que ficaram com pedaços de vidro nos olhos e um outro foi atingido com uma das pedras. Felizmente, todos os três ferimentos foram ligeiros", referiu.

Com o veículo danificado e depois de verificada a integridade física dos passageiros, a preocupação do vice-presidente do V. Setúbal passou a ser as condições da viagem de regresso.

"O grande problema era tratar-se de um autocarro que tinha mais de 70 lugares e que não estava em condições para regressar a Setúbal. Estive com os adeptos até se resolver o problema com a chegada de um autocarro de Guimarães por volta das 01:15 de domingo, para levar todos de volta a casa", disse.

(notícia atualizada às 16H30)


4
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de V. Setúbal

Notícias

Notícias Mais Vistas