Record

Factos da época 2000/01

TOTAL DE 807 GOLOS NA PIOR ÉPOCA DA HISTÓRIA DO BENFICA

O primeiro campeonato do milénio foi caracterizado pelo inedetismo do título ganho pelo Boavista. A equipa de Jaime Pacheco relegou o FC Porto para o segundo lugar e o agora ex-campeão Sporting para o terceiro. Para o Benfica foi a pior época de sempre, ultrapassado pelo Sp. Braga e pela sensacional U. Leiria na classificação final.

As contas finais, para além de inúmeras curiosidades, destacam ainda os nomes de Litos (Boavista), Quim (Sp. Braga) e Vítor Pereira (árbitro) como os melhores de Record, numa temporada em que Pena (FC Porto) sucede a Jardel na galeria da Bota de Ouro, secundado por van Hooijdonk (Benfica), Rafael (Paços de Ferreira) e João Tomás (Benfica).

Se o percurso do campeão não deixou dúvidas – o título foi festejado uma semana antes –, o mesmo não se pode dizer das duas equipas que só na "linha de chegada" garantiram a permanência. Vitória de Guimarães e Gil Vicente querem rectificar processos para evitar o sufoco de agora e o Campomaiorense, que não evitou a descida, já pensa... no regresso.

Média de golos inferior à da temporada 84/85

O campeonato que findou domingo rendeu 807 golos, o que dá uma média de 2,64 por jogo. Um número próximo ao registado em 98/99 (2,65, 810 tentos). Nas últimas 20 temporadas, o máximo foi alcançado em 84/85, com 2,79 (669 golos em 240 jogos). A longínqua época de 42/43 continua a deter a melhor média (5,99, 539 golos em 90 desafio), enquanto na de 46/47 foi marcado o maior número de golos (933, em 182 partidas).

Oito golos num jogo foi o máximo obtido

Para a média de golos do campeonato, em muito contribuiu a última jornada, a mais produtiva (37). Aliás, foi na derradeira ronda que se marcaram mais golos (oito) num jogo: D. Aves-Benfica (4-4) e Sp. Braga-U. Leiria (3-5). O anterior máximo era de sete tentos: D. Aves-Sporting (3-4) e Salgueiros-Sp. Braga (2-5). O FC Porto foi a equipa que conseguiu a maior goleada: 6-0, na recepção ao Alverca.

Dois benfiquistas figuram no pódio dos marcadores

O Benfica está representado com dois jogadores no pódio dos melhores do campeonato: Pierre van Hooijdonk (Bota de Prata) e João Tomás (Bota de Bronze, a par do pacense Rafael). A formação encarnada, que protagonizou a pior época de sempre (sexto lugar), acaba por ter um prémio de consolação, ao ver dois avançados contemplados com os galardões atribuídos por Record.

André Cruz, Veríssimo e Bilro bisam na própria baliza

Nas 34 jornadas da I Liga, apontaram-se 20 autogolos. Os defesas André Cruz (Sporting), Veríssimo (Alverca) e Bilro (U. Leiria) destacaram-se ao marcarem por duas vezes na própria baliza. O FC Porto foi o conjunto mais beneficiado com os deslizes alheios (quatro golos), enquanto Sporting, Alverca e V. Guimarães foram os mais prejudicados, ao sofrerem três tentos concretizados por jogadores da própria equipa.

FC Porto invicto em casa e D. Aves sem vitórias fora

O FC Porto foi a única equipa que não perdeu em casa. Nas Antas, o pior que os dragões conseguiram foram dois empates. O Sp. Braga esteve quase a conseguir esse feito, mas claudicou na última ronda, ante a U. Leiria. A formação da cidade do Lis também só sofreu uma derrota em casa. No extremo oposto aos portistas, o D. Aves terminou o campeonato sem ter triunfado em reduto alheio. Foi, aliás, o único conjunto a cometer tal “proeza”.

Seis jogadores foram totalistas

Apenas seis jogadores foram utilizados nas 34 jornadas do campeonato que terminou domingo. Destaque para o facto de desse lote, quatro serem guarda-redes, o que demonstra bem a particularidade desse posto: Quim (Sp. Braga), Marco Aurélio (Belenenses), Jorge Silva (Salgueiros) e Paulo Jorge (Gil Vicente). Everaldo (Paços de Ferreira) e Mariano (Marítimo) também são totalistas.
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Futebol Nacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

M