MAI reúne na próxima semana com a Liga para combater violência no futebol

Propostas para reforço de segurança preparadas em conjunto com a APCVD

• Foto: Lusa
O Ministério da Administração Interna, encabeçado por José Luís Carneiro, agendou para a próxima terça-feira, dia 17 de maio, a reunião que tinha sido solicitada pela Liga no sentido de serem dados passos concretos no combate à violência no futebol.

O processo teve início em março, quando Pedro Proença manifestou a sua preocupação face ao recrudescimento de situação perigosas em torno dos estádios nacionais no pós-pandemia, lançando um apelo para uma ação determinada que evitasse a chegada ao nosso país de factos graves ocorridos em espetáculos desportivos de diversos países.

Apesar de se tratar de um foco prévio ao homicídio ocorrido na festa do título do FC Porto, e tendo uma abrangência mais alargada, o facto é que a decisão do MAI, segundo Record apurou, demonstra que o Governo está muito atento à situação e pretende saber que propostas a Liga irá colocar sobre a mesa no sentido de ser alcançado um reforço de segurança e tranquilidade que o Cartão do Adepto não foi capaz de concretizar. Um trabalho que o organismo liderado por Pedro Proença tem realizado em conjunto com a Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto (APCVD), mas tendo igualmente conhecimento, e levando em conta, algumas preocupações expressas pelas autoridades policiais.

"Depois de um período de cerca de dois anos em que estivemos confinados, temos assistido a um aumento da violência no desporto em geral e no futebol em particular. Temos vindo a trabalhar com a tutela, com a área da Administração Interna, no sentido de criar condições para enfrentar este fenómeno, que não acontece só em Portugal. Infelizmente, temos assistido no México, Espanha e França, é um fenómeno transversal que nos preocupa muito", disse Pedro Proença quando lançou este repto. 

"Existem três vetores que temos de tratar de forma séria e célere. O primeiro é a forma como monitorizamos a tipologia de adeptos que temos hoje nos estádios de futebol e temos de encontrar uma fórmula, o segundo tem a ver com as vistorias dos adeptos, que entram nos estádios com vários artefactos que, de alguma forma, criam violência, e, em terceiro, o agravamento das penalizações para quem infringe um quadro de deve ser de bom comportamento nos recintos desportivos", explicou ainda, em março, o presidente da Liga. 

Na próxima terça-feira, e agora que o novo Governo se encontra em pleno funcionamento, Pedro Proença poderá dar conta das suas inquietações a José Luís Carneiro, que tendo em conta o recente alarme social provocado por situações de cariz criminal que se cruzam com a principal claque do FC Porto se tornam ainda mais prementes.
Por Vítor Pinto
3
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Futebol Nacional

Notícias

Notícias Mais Vistas