Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias. Seguir

Os "alertas" que dá cá para fora, o "caminho mais curto" para um título e as baixas confirmadas: tudo o que disse Sérgio Conceição

Treinador abordou jogo com o Estoril, da 2.ª jornada do Grupo D da Taça da Liga

Conferência de Sérgio Conceição de antevisão ao jogo com o Estoril
Sérgio Conceição fez esta terça-feira a antevisão ao jogo com o Estoril, partida da 2.ª jornada do Grupo D da Taça da Liga agendada para amanhã (18 horas).

O FC Porto é o detentor da Taça da Liga. A revalidação é o objetivo? Que encontro espera amanhã? "É um desejo da equipa estar na final-four e sabemos que para isso temos de obter um bom resultado frente ao Estoril. Preparamo-nos da melhor forma para ir lá e ganhar o jogo".

Estoril já venceu o FC Porto este ano. O FC Porto tem 3 jogos muito importantes em 7 dias, este facto tem impacto na forma como vai estruturar a equipa para amanhã? "Os melhores serão os que têm mais minutos? No final da época pode ser diferente. Não vejo as coisas por aí. Vou olhar para o jogo definindo a estratégia dentro do que é habitual em termos estruturais da equipa, jogar com os jogadores que me dão garantias dentro daquilo que também é a equipa do Estoril. Não vou pensar em gestão".

Usou o facto de o Estoril ter ganho ao FC Porto para espicaçar o grupo? A Taça da Liga era vista como uma competição secundária, sente que nesta altura internamente toda a gente olha de forma diferente para a competição? "É uma competição nova em relação às outras provas internas. Foi melhorando ao longo dos anos a organização, não vejo nenhum clube que não queira ganhar este título. Um título é um título e o caminho mais curto para ganhar um título é a Taça da Liga. Este clube vive de títulos e não vejo como possamos desvalorizar esta prova. Espicaçar? Não. No jogo com o Estoril criámos muito mais do que em Famalicão. Tenho de espicaçar pelo que é feito diariamente. Na altura podíamos ter resolvido o jogo antes do intervalo. Mas num lance infeliz o Estoril ganhou o jogo, mas foi grande parte demérito nosso".

Reclamou mais eficácia, tem vindo a fazer mais golos. Esta estabilidade e consistência estão a surgir? "Fui dizendo ao longo do tempo é que queríamos cada vez mais apresentar solidez e consistência em todos os momentos do jogo. Vai-se evoluindo como equipa, os jogadores nas duas tarefas e coletivamente vamos ficando mais fortes. Já falei em ganhar por meio a zero, muita da consistência tem a ver com defensivamente não sofrer e pelas vezes que criamos conseguir fazer um golo pelo menos para ganhar. Na Liga dos Campeões somos a equipa mais concretizadora fora de casa, à frente do City. Preocupava-me se na nossa dinâmica ofensiva não tivéssemos capacidade para criar situações para finalizar com êxito. São situações que se trabalham. Há jogos em que 4 oportunidades fazemos 3 golos e noutros que em 10 fazemos 1. Jogo do Feirense estava a ganhar e na segunda parte as coisas viraram completamente e o Mafra não empatou por pouco... Nunca me preocupei com mais ou menos eficácia, preocupo-me que os jogadores deem o melhor para evoluírem".

Tendo por base a evolução do Estoril, que aspetos evidencia e que o preocupam mais nesta equipa: "Muito do que apanhámos com o Estoril tem sido demonstrado por eles ao longo destas semanas. Marcaram em praticamente todos os jogos, é uma equipa que gosta de jogar, tem qualidade individual, privilegia momentos em posse, defensivamente tem um corredor povoado com 3 centrais, jogadores percebem bem o que fazer quando a equipa não tem bola... é uma boa equipa, como já disse. Hoje coletivamente estão um bocadinho mais fortes do que há algumas semanas".

Conta com João Mário e Alan Varela? "Estão fora, lesionados."

Três jogos em 7 dias. Sente que devia haver mais preocupação na elaboração do calendário desportivo? "Já me manifestei muitas vezes sobre isso. Quando digo que um clube grande tem de estar em todas as competições, temos de levar com esse fardo, o tempo de recuperação não ser o mais adequado para que os jogadores estejam no seu máximo. Mas é o que é. Amanhã também temos um jogo decisivo, não queremos ficar fora da final-four, não podemos olhar muito à frente dos nossos pés porque podemos tropeçar. Queremos fazer um bom jogo amanhã".

Disse no final do jogo com o Estoril disse que muita coisa teria de melhorar no clube: "Quando faço um ou outro alerta não é porque me dá na cabeça, vão dizer que aquele maluquinho está a falar demais. Se passo uma mensagem é porque é bem pensada. Naquele momento achei que devia dizer, passaram-se coisas que não me agradaram. Achei de uma forma pensada que o devia dizer. Só isso. Neste momento as pessoas como grandes profissionais que são trabalham com o intuito de dar o melhor de si, e fico muito satisfeito. Porque não há departamentos perfeitos, incluindo a equipa técnica. Em conjunto tentamos todos os dias melhorar. Sou eu que ganho e que perco. A minha intenção é dar títulos ao clube".

A Taça da Liga é uma aposta de jogadores mais jovens. Há jogadores na equipa B que possam ter um futuro a curto prazo na equipa principal? "Temos vários. No final do jogo com o Famalicão tive oportunidade de falar sobre o João Mendes e que o que tem sido feito nos sub-19 e na equipa B. Disse que há essa observação na evolução de cada um dos jogadores, estamos atentos para quando eu achar que têm a oportunidade de se mostrarem na equipa principal o vão fazer Mas sempre de forma sólida, não é lançar por lançar, porque fica bem. É quando eu achar que estão prontos, depois de treinos que vocês [jornalistas] não vêm. Vejo jogadores com muito potencial para um dia fazerem parte do plantel principal do FC Porto."
Por Record
8
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas