Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias. Seguir

Pinto da Costa sobre Villas-Boas: «Eu estava era à espera que ele devolvesse os prémios que ganhou no FC Porto»

Presidente do FC Porto abordou ainda a intenção do ex-treinador avançar para as eleições: "tanto trabalho para não se candidatar, só se fosse tolinho..."

A carregar o vídeo ...
O discurso de Pinto da Costa, com 'boca' a Villas-Boas: «Não venha com os papéis que lhe metem à frente e diga o que lhe vai na alma»
Pinto da Costa falou sobre a mais recente Assembleia Geral e sobre a eventual candidatura de André Villas-Boas à margem de um congresso de agências de viagem e turismo, que decorreu esta quinta-feira na Alfândega do Porto. 

"Foi lá ler umas coisas que tinha num papel… A única coisa importante que disse é que votassem contra as contas. Não foi ouvido porque só 100 e tal é que votaram contra, os restantes não o ouviram", referiu o atual presidente, à Sport TV, sobre a intervenção de André Villas-Boas na AG, abordando depois a intenção do ex-treinador se candidatar às eleições: "Penso que sim, por todo o trabalho que ele tem feito, tem pessoas a trabalhar para ele, tem um gabinete de comunicação já a trabalhar há muito tempo. Se andasse com este trabalho todo e não fosse para se candidatar era tolinho."

Já sobre palavras antigas de AVB, em que frisou que não se candidataria contra o atual líder, Pinto da Costa... ironizou. "Isso só prova aquele ditado: 'nunca digas nunca'. Se calhar achou que eu ia morrer mais cedo, mas ainda vai ter de esperar para ir ao meu funeral", atirou, citado pelo 'Jornal de Notícias', considerando ainda que Villas-Boas sofreu uma derrota com os resultados da Assembleia Geral: "Eu estava era à espera é que ele devolvesse os prémios que ganhou no FC Porto. Foi um fait-diver para criar algum stress, mas ninguém ligou ao que ele disse porque ele apelou ao voto contra as contas do clube, mas a maioria aprovou e quem se absteve, num sinal de bom senso, significa que não aprovava as contas mas não queriam criar um problema ao clube. O voto contra perdeu e foi uma derrota escusada de Villas-Boas. Se eu fosse à Assembleia pedir para aprovar as contas e elas fossem reprovadas era uma derrota minha."

Pinto da Costa falou ainda sobre as suas intenções de se vir a recandidatar. "Não tenho timing para apresentar a candidatura porque tenho outras preocupações com o FC Porto. Temos de passar aos oitavos da Liga dos Campeões e estamos a acelerar a academia. Essas é que são as minhas peocupações. Não desvendei a data porque ainda não decidi, quando o fizer, comunicarei primeira decisão aos meus dirigentes", atirou o atual líder dos dragões, que, por agora, acredita ser possível segurar os principais craques do plantel em janeiro: "Em princípio não temos de vender, mas se aparecerem propostas irrecusáveis... Ainda só recebemos 20 milhões de euros dos 60 milhões de euros do Otávio, por isso estamos tranquilos. Tendo em conta os projetos que serão concretizados pelo doutor Fernando Gomes e pelo FC Porto, penso que não será necessário vender."

A finalizar, Pinto da Costa abordou a recente exibição frente ao Barcelona, que terminou com uma derrota por 2-1. "As próprias pessoas de Barcelona, vi o jogo ao lado do presidente, reconheceram que não merecíamos perder. Foi um sentimento geral, mas agora quando se perde não se pode ficar a carpir as derrotas, tem é de se preparar a vitória seguinte. Se vencermos o jogo de dia 13 [contra o Shakhtar] conseguimos um dos objetivos da época de chegar aos oitavos-de-final", considerou.
Por Record
38
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas