Kuca como talismã

A equipa nunca perde quando o extremo fatura

• Foto: Lusa

No primeiro jogo após a saída de Jorginho para o Saint-Étienne, Lito Vidigal lançou Kuca no elenco titular, opção algo surpreendente tendo em conta que o extremo ainda só tinha alinhado de início duas vezes no campeonato, a última delas a 30 de outubro, frente ao Marítimo. Todavia, nem deu para os adeptos arouquenses sentirem saudades de Jorginho, pois Kuca brilhou – e de que maneira – diante do V. Setúbal, ao marcar dois golos, um de trivela com o pé direito, e outro de cabeça.

O extremo cabo-verdiano, de 27 anos, não alcançava um ‘bis’ desde setembro de 2014, quando representava o Estoril, e esta última jornada serviu também para Kuca confirmar o seu estatuto de talismã dos arouquenses, pois sempre que marcou nas diversas competições a equipa não perdeu, como comprova o quadro que acompanha este texto. No que toca ao campeonato, já tinha sido decisivo com golos a valerem o empate no Restelo e a vitória sobre o Estoril. Kuca será, neste sentido, um perigo à solta na visita ao Benfica, na próxima 6ª feira.

Entretanto, o médio Artur saiu do último jogo lesionado na coxa direita, mas ainda não é conhecida a gravidade da mazela, pois só hoje será examinado. O plantel já prepara, desde ontem, a visita ao líder do campeonato.

Por André Gonçalves
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Arouca

Notícias

Notícias Mais Vistas