Jorge Jesus suspenso por 15 dias

Treinador do Benfica tem em risco os dois clássicos com o FC Porto, mas recurso das águias poderá suspender o castigo

• Foto: jo
Jorge Jesus foi suspenso por 15 dias pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol por críticas à arbitragem após um jogo com o FC Porto, ainda na temporada passada (6 de maio). O treinador encarnado tem em risco a sua presença nos dois clássicos com os dragões, marcados para os dias 23 e 30 - assim como o jogo com o Marítimo, a 19 -, mas um eventual recurso do Benfica poderá suspender o castigo. Também Otamendi e Grimaldo foram punidos, mas apenas com multas.

O Benfica pode agora recorrer para o TAD, ainda que o recurso das águias só suspensa o castigo caso a providência cautelar seja aceite. No que respeita ao jogo de amanhã, com o Sp. Covilhã, ainda não é certa a presença do treinador.

O processo foi espoletado pelas críticas de Jesus, Otamendi e Grimaldo à atuação de Artur Soares Dias nesse duelo com o FC Porto, que motivou uma queixa da APAF. Jorge Jesus apontou o dedo ao trabalho do juiz, queixando-se essencialmente de um cartão amarelo (o segundo) que terá ficado por mostrar a Pepe. O técnico das águias falou mesmo em decisões que fizeram a balança pender para um dos lados no clássico, que terminou num empate a um golo. "Há pormenores que ninguém vê, mas nós sentimos para onde está a balança...", disse na altura o treinador do Benfica.

Otamendi também não escondeu a revolta. Embora sem o referir diretamente, o central manifestou o descontentamento com a arbitragem de Soares Dias. "Vergonhoso, inacreditável", disse o central argentino no Twitter. Grimaldo também se queixou. "A mesma história de sempre, vergonhoso", atirou então o lateral encarnado.

O que diz o comunicado

O processo foi instaurado a 11 de maio e remetido à Comissão de Instrutores da Liga no dia seguinte, sendo depois determinado pelo CD os castigos, que incluem também, por exemplo, uma multa de 32 mil euros ao Benfica. Leia em baixo o comunicado:

No dia 14.12.2021 decidiu o Conselho de Disciplina por:

a) arquivar os autos quanto ao Arguido, Dirigente do Clube Sport Lisboa e Benfica, por não se incluir no âmbito subjetivo de aplicação do RDLPFP e não se enquadrar nas definições do n.º 1 do artigo 4.º do RDLPFP, extraindo-se certidão da factualidade atinente ao Arguido, para remessa à Secção Não Profissional do Conselho de Disciplina;

b) condenar a Sport Lisboa e Benfica – Futebol SAD pela prática de duas infrações disciplinares previstas e punidas pelos n.ºs 1, 3 e 4 do artigo 112.º, do RDLPFP20, na sanção de multa de 320 UC, a que corresponde o montante de 32.640,00 € (trinta e dois mil seiscentos e quarenta euros);

c) condenar o Arguido, Treinador da Sport Lisboa e Benfica – Futebol SAD, pela prática de uma infração disciplinar p. e p. pelas disposições conjugadas dos artigos 136.º, n.ºs 1 e 3 e 112.º, n.º 1, ex vi artigo 168.º, n.º 1 e 2 do RDLPFP20, em sanção de suspensão que se fixa em 15 (quinze) dias e, acessoriamente, em sanção de multa que se fixa em 120 (cento e vinte) UC, a que corresponde o montante de 12.240,00€ (doze mil duzentos e quarenta euros);

d) condenar os arguidos, jogadores da Sport Lisboa e Benfica – Futebol SAD, pela prática, cada um deles, de uma infração disciplinar p. e p. pelo artigo 167.º do RDLPFP, por violação dos deveres previstos no n.º 1, do artigo 51.º do RCLPFP, e no n.º 1 do artigo 19.º do RDLPFP, em sanção de multa que se fixa em 10 (dez) UC, a que corresponde o montante de 1.020,00€ (mil e vinte euros).
Por Record
60
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas