Eusébio embaixador mundial do Fair Play

''PANTERA NEGRA'' RECEBE GALARDÃO EM PARIS

Eusébio volta hoje, com 60 anos de idade, a atrair as luzes da cidade europeia favorita dele, para receber um prestigioso galardão mundial de reconhecimento por uma carreira votada ao desportivismo e à aproximação entre as pessoas. Eusébio é um património da Humanidade e do Desporto Mundial e isso ficará perpetuado, ao fim da tarde, quando receber das mãos do presidente do Comité Olímpico Internacional, Jacques Rogge, o Trofeu Jean Borotra, atribuído pelo Comité Internacional para o Fair Play, no âmbito da UNESCO.

Em contraste com algum alheamento da opinião pública portuguesa em relação a este acontecimento, o grande embaixador do futebol português vive, por isso, dias felizes. A atribuição deste importante galardão, apenas pela terceira vez a um futebolista (depois de Bobby Charlton e Dino Zoff), foi até hoje praticamente confidencial em Portugal, como reconhecem e lamentam os promotores. A importância deste prémio justificaria mesmo a presença de um representante do Governo, bem como dos presidentes do Comité Olímpico Português, da Federação Portuguesa de Futebol e do Benfica.

Mas, isso não diminui a satisfação do premiado, ainda a recuperar de uma pequena cirurgia realizada há dias. Numa Paris congelada por uma vaga de frio e a dois passos de uma Torre Eiffel em vias de se assemelhar a mais um pico gelado dos Pirenéus, o antigo goleador mostrava-se ontem calorosamente reconhecido, nomeadamente pelo prazer de ter privado alguns momentos, logo à chegada, com outro gigante eterno do desporto mundial, o antigo atleta Kip Keino, que hoje receberá na mesma cerimónia o Troféu Willi Daume, outros dos três prémios atribuídos pela mesma organização. Os troféus serão entregues numa pausa dos trabalhos da Mesa Redonda dos Ministros e Altos Responsáveis pelo Desporto, que reúne em Paris delegados de mais de 150 países membros da UNESCO.

"Quando não se espera, as coisas sabem ainda melhor", comentava Eusébio. "Não é qualquer um que recebe um prémio destes e isso deixa-me orgulhoso e reconhecido. Este não é um troféu de fim de época, uma taça que se ganha, não. Este é um atributo, algo que vale a pena esperar uma vida. E eu estou feliz, nos meus 60 anos".

Exemplo inspirador

Segundo o CIFP, Eusébio justifica o prémio porque "ao longo de décadas viajou pelo Mundo mostrando ser um exemplo inspirador para os jovens jogadores". O trofeu associa carreiras desportivas de alto nível à excelência do comportamento fora do campo e recebeu o nome do fundador do Movimento pelo Fair Play, Jean Borotra, há cerca de 40 anos.

A candidatura do português foi avançada pelo comissão nacional, no âmbito do Comité Olímpico, presidida por Cardos Cardoso, actual presidente da Confederação de Desporto. O prémio foi atribuído em Setembro e Eusébio desconhecia que a proposta tinha sido feita pelo COP.

Cerimónia contempla mais troféus

Para além do galardão a entregar a Eusébio, a cerimónia de hoje contempla ainda mais duas distinções, o Troféu Pierre de Coubertin (acto de Fair-Play de um Atleta ou de uma Equipa), a atribuir a Simone Moro, italiano, alpinista que desistiu do sonho de chegar ao topo dos Himalaias para socorrer um jovem inglês, Tom Moores, que se tinha despenhado, algumas centenas de metros atrás e tinha sido abandonado pelo próprio grupo, que o presumiu morto. Simone acabou por salvar a vida do jovem Tom. O outro troféu é designado Willi Daume e destina-se a distingir uma "Carreira Individual de Fair-Play". Kip Keino, queniano, campeão olímpico de 1968 na Cidade do Mexico, que fundou e dirige uma escola para crianças órfãs, há mais de 30 anos, é o homenageado.
2
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas