João Félix foi o último a saltar o trampolim

Número de jogadores da formação utilizados na equipa principal aumentou desde 2006

• Foto: Paulo Calado

João Félix foi o último jogador vindo da formação a estrear-se na principal equipa do Benfica, dando força ao que Luís Filipe Vieira garantiu aquando da inauguração do Caixa Futebol Campus, a 22 de setembro de 2006 – o centro de estágios seria também uma "fábrica de talentos". Alfa Semedo, Gedson e Rúben Dias também já tiveram minutos (Yuri Ribeiro e Bruno Varela ainda aguardam nesta época), mas houve outros que ficaram ‘à porta’ na pré-época e que não conseguiram lugar no plantel, como André Ferreira e Heriberto.

Desde a edificação da estrutura no Seixal, a aposta em jogadores formados ‘em casa’ foi gradual e não houve impacto imediato nas primeiras cinco temporadas.

Por exemplo, em 2006/07, o Benfica dispunha na sua equipa principal de apenas dois jogadores (João Coimbra e José Moreira) que haviam passado pela formação da Luz, mas nenhum deles conseguia ser titular repetidamente. Até 2015/16, apenas Rúben Amorim tinha essa condição por garantida - nas épocas 2008/09 e 2009/10 - o que ilustra a influência que os formandos tinham nos plantéis de então do Benfica. A partir de 2015/16, a aposta no Seixal ganhou outra dinâmica, coincidindo com a entrada de Rui Vitória e saída de Jorge Jesus, volvidas seis temporadas. Na referida época, Renato Sanches findou como um dos mais utilizados (35 jogos) naquela que também foi a sua temporada de estreia, seguindo-se Gonçalo Guedes , Lindelöf e Ederson, também todos com passagens pelo Caixa Futebol Campus e a serem decisivos para a obtenção do título nacional encarnado numa luta renhida até última jornada, travada como Sporting.

Na temporada imediatamente a seguir (2016/17), os encarnados assistiram ao que tanto ansiavam, com um recorde de jogos de formandos do Seixal pela primeira equipa das águias. Em plena temporada do tetracampeonato, Rui Vitória colocou em campo oito futebolistas com passagem pela formação das águias, contabilizando, ao todo, 140 partidas oficiais realizadas e superando o anterior máximo (125), que dizia respeito à campanha 2015/16, primeira do ribatejano na Luz.

Lindelöf é o rei das presenças

Victor Lindelöf, contratado ao Vasteras em 2012, é o jogador com mais jogos efetuados pela equipa principal do Benfica numa só temporada (2016/17), depois de ter passado pela formação. O central sueco, que até começou a lateral-direito nos juniores das águias, chegou a impressionantes 47 presenças na época do tetracampeonato, saindo depois pela ‘porta grande’ para Inglaterra, onde agora alinha pelo Manchester United.

4
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas