«O Benfica tem outras prioridades»: Jaime Antunes e o fim de conversas com John Textor

Vice-presidente adiantou ainda que a nova proposta com revisão de estatutos será entregue em "um ou dois meses"

• Foto: Miguel Baltazar/Jornal de Negócios

Interromperam-se as conversações com o norte-americano John Textor, que visavam a aquisição por parte do investidor de 25% da SAD encarnada. Jaime Antunes explicou que a decisão do Benfica justifica-se pelo momento pouco oportuno para estratégias deste cariz, tendo em conta que existem outras "prioridades" na agenda do emblema da Luz. Quanto à revisão dos estatutos, o vice-presidente adianta que a nova proposta será entregue em "um ou dois meses".

"Esta foi uma decisão da direção do Sport Lisboa e Benfica que vem na sequência dos contactos, de reuniões e de várias conversas que tivemos com o senhor Textor. Logo a seguir às eleições, a direção disse, com toda a legitimidade, que teria toda a disponibilidade de receber o senhor Textor, como qualquer outro investidor, que estivesse interessado no Benfica. O Benfica gosta de receber bem as pessoas, as pessoas que o contactam, e nesse sentido tivemos uma reunião presencial pelo vice-presidente Luís Mendes com o senhor Textor, que foi de uma simpatia extrema, de uma grande correção e transparência nas suas intenções relativamente à Benfica SAD", começou por dizer o dirigente, à BTV, concretizando o impasse: "O problema aqui, e por isso é que comunicamos ao senhor Textor que não queríamos continuar esta conversação, é que entendemos que o Benfica tem outras prioridades na sua agenda. A direção do Benfica está muito empenhada em fazer uma série de desenvolvimentos na estrutura, tem focos recentemente anunciados pelo presidente, como a nova cidade do Benfica, todo o processo de revisão estatutária que está em curso… Há toda uma série de assuntos a tratar e esses, sim, estão na nossa agenda prioridade. Entendemos que face à conjuntura em que vivemos não é o momento mais oportuno para se avançar de forma aprofundada com qualquer tipo de parceria desta natureza."

Ressalvando que as portas não estão fechadas aos investidores, Jaime Antunes vinca que, por agora, é necessária uma "reorganização interna". "O problema nem sequer é Textor em concreto. A questão é que não esta neste momento na agenda. Não quer dizer que num futuro próximo não haja abordagens do ponto de vista de encontrar parcerias estratégicas que sejam importantes para o desenvolvimento de toda a atividade do Benfica e mais especificamente do futebol profissional. Mas este não é o momento. A conjuntura aconselha a que o Benfica dedique as suas forças a outras prioridades, desde logo internas, a alguma reorganização interna. Os sócios do Benfica vão compreender que estamos a equacionar soluções em muitas áreas. Nada tem a ver com a pessoa do senhor Textor mas sim com o momento, que não é oportuno", acrescentou.

No que diz respeito à revisão de estatutos, o vice-presidente e membro pertencente à Comissão encarregue da nova proposta adianta que o projeto será entregue em "um ou dois meses". "Os trabalhos estão a decorrer de forma muito correta e empenhada. As pessoas estão muito envolvidas e empenhadas para que em curto prazo possamos entregar à direção um projeto finalizado de estatutos. Dentro de um ou dois meses, no máximo. Em poucos meses teremos novos estatutos", atira.

Por Rita Pedroso
19
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas