Rafael Brito e a chamada à equipa principal: «Não podemos pensar que vamos ter oportunidades a torto e a direito»

Médio quer estrear-se às ordens de Lage

• Foto: Ricardo Nascimento

Rafael Brito está a trabalhar com a equipa principal, mas reconhece que não espera, até ao final da época, vir a ter muitas oportunidades.

"É um sonho chegar à equipa principal. Estamos aqui, é mais um passo, mas precisamos de ser  humildes e perceber o contexto. Isto não é os juvenis em que podemos ser chamados a qualquer momento. Aqui é alto rendimento e já estamos na fase final do campeonato. Não podemos pensar que vimos para aqui e vamos ter oportunidades a torto e a direito. Além disso, os jogadores da posição seis que existem aqui são de grande qualidade. Tenho de perceber isso, mas vou aprendendo muito com eles", vincou o jogador, de 18 anos, que revela ainda como se sentiu quando soube que ia ter esta oportunidade:

"Quando soube que ia ser chamado à equipa principal, até estava a falar sobre esse assunto. Tínhamos recebido a mensagem que a equipa B não ia voltar aos trabalhos. E pensava, agora só há uma opção, a equipa A ou vou ficar em casa. Lembro-me que estava a tomar um café com os pais, quando me ligaram a dizer que eu ia treinar e fiquei muito feliz. Foi dos dias mais felizes da minha vida. Senti-me uma criança. Era algo que ambicionava há muito tempo. Poder trabalhar com eles e aprender com eles é um motivo de orgulho para mim.", confidenciou, em entrevista à BTV.

A verdade é que agora Rafael Brito está mais próximo de cumprir alguns dos sonhos que acalenta. E são vários: "A minha principal meta para o futuro é estrear-me pela equipa principal e ser campeão pelo Benfica. Nunca fui ao Marquês de Pombal e gostava de ir. Mas também gostava de ganhar uma Liga dos Campeões pelo Benfica", atirou.

Desde os oito anos a equipar de águia ao peito, Rafael Brito já ocupou várias posições em campo, mas há uma que o preenche: "Gosto de jogar a médio-defensivo. Sinto que é onde consigo expor-me melhor como jogador. Um bom médio defensivo deve saber defender, mas nas equipas grandes, como é o Benfica, tem de saber também atacar e levar a equipa para a frente", explicou.

A experiência dos adversários é algo que Rafael Brito não teme, pois o próprio revela que sempre se habituou a defrontar oponentes mais velhos.

"Eu no meu caso, vivi muito tempo com os meus avós e sempre joguei com pessoas mais velhas no bairro. E mesmo no Benfica sempre joguei com pessoas mais velhas e consegui habituar-me a ter confiança, sinto-me tranquilo com isso", reforçou.

Por Valter Marques
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas