'Servir o Benfica' ameaça com "disputa judicial" e pede demisão do líder da MAG

Em causa realização de assembleia geral extraordinária

• Foto: Francisco Ferreira

O movimento 'Servir o Benfica' confirma que pode recorrer para uma "disputa judicial", para ver realizada a assembleia geral extraordinária, como Record adiantou a 7 de julho. Em carta aberta dirigida ao presidente da Mesa da Assembeial Geral, António Pires Andrade, e publicada no Facebook, é recordada a promessa de realização de uma reunião magna e pede a demissão do sucessor de Rui Pereira.

"O 'Servir o Benfica' exige, pelo exposto, a renúncia imediata do Senhor António Pires de Andrade ao cargo, pela manifesta incapacidade demonstrada em estar à altura do momento que o Sport Lisboa e Benfica atravessa", pode ler-se.

Com o argumento de que o líder da MAG, "ao não convocar a reunião extraordinária requerida, está a faltar à palavra aos sócios", o movimento dispara: "A ausência de justificação para estas atitudes e decisões, o silêncio relativamente a qualquer impedimento levantado pela Direcção ou Autoridades de Saúde e a quebra de diálogo estabelecido previamente entre o 'Servir o Benfica' e a Mesa da Assembleia Geral consistem agravantes censuráveis. Limitam a salutar participação dos sócios na cidadania do clube, empurrando o processo para uma eventual disputa judicial que, não sendo desejada, se afigura cada vez mais inevitável."

Eis a carta aberta na íntegra:

"Excelentíssimo Senhor Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sport Lisboa e Benfica, António Pires de Andrade;

Vem o 'Servir o Benfica', por meio de carta aberta, recordar as palavras por Vossa Excelência dirigidas aos sócios em comunicado emitido no dia 29 de Junho de 2021, reiterando o compromisso de agendar para o mês de Julho a reunião de Assembleia Geral Extraordinária requerida. Tal compromisso falhou. Os prazos estatutários não permitem que a reunião de Assembleia Geral Extraordinária seja marcada durante o corrente mês.

A impossibilidade de cumprir a palavra dada aos sócios do Clube foi motivo para a renúncia do Professor Doutor Rui Pereira ao cargo. O Exmo. Senhor António Pires de Andrade, ao não convocar a reunião extraordinária requerida, está a faltar à palavra aos sócios, a impossibilitar o seu exercício de direitos e a desrespeitar os Estatutos cuja sua principal missão é fazer cumprir. A ausência de justificação para estas atitudes e decisões, o silêncio relativamente a qualquer impedimento levantado pela Direcção ou Autoridades de Saúde e a quebra de diálogo estabelecido previamente entre o Servir o Benfica e a Mesa da Assembleia Geral consistem agravantes censuráveis. Limitam a salutar participação dos sócios na cidadania do Clube, empurrando o processo para uma eventual disputa judicial que, não sendo desejada, se afigura cada vez mais inevitável.

O 'Servir o Benfica' exige, pelo exposto, a renúncia imediata do Senhor António Pires de Andrade ao cargo, pela manifesta incapacidade demonstrada em estar à altura do momento que o Sport Lisboa e Benfica atravessa. Mais se exige que a Mesa da Assembleia Geral garanta a marcação da reunião de Assembleia Geral Extraordinária com a maior brevidade possível para que o Regulamento Eleitoral seja uma realidade, exigindo igualmente a pronúncia de um prazo objectivo para a realização da reunião de Assembleia Geral Eleitoral, após aprovação do referido Regulamento."

Por Nuno Martins
75
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Benfica

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.