João Pedro Sousa: «O Benfica foi muito forte, entrou muito forte»

Técnico do Boavista diz que primeira parte da pantera foi "muito fraca"

• Foto: LUSA

João Pedro Sousa reconheceu a superioridade do Benfica no encontro desta noite no Estádio da Luz, considerando que o Boavista se apresentou na primeira parte com uma performance "muito fraca". Algo que viria a melhorar no segundo tempo e que, mesmo com o desaire final, o técnico axadrezado leva como positivo do duelo desta segunda-feira.

"Trazíamos uma estratégia e tentámos ser corajosos e ambiciosos, como eu tinha prometido na antevisão, mas falhámos. Infelizmente é uma crítica ao treinador e não aos jogadores. Falar na antevisão que vamos ser corajosos e ambiciosos é fácil, mas é só no aspeto teórico, pois não conseguimos sê-lo. A primeira parte foi muito fraca. Sofremos um golo nos primeiros minutos. Sofremos um golo aos 13 minutos e até aí tivemos um minuto de bola. Perante uma equipa como o Benfica, que é muito competitiva... O Benfica foi muito forte, entrou muito forte, muito pressionante. Nós tivemos a felicidade de empatar numa situação que queríamos fazer mais ao longo do jogo, mas que não fomos capazes. No intervalo falámos, retificámos essa nossa disponibilidade de ser mais pressionantes e conseguimos sê-lo. Fomos mais o Boavista que queremos ser, do que o que fomos na primeira parte. Vamos agarrar nas coisas boas da primeira parte e levá-las para os próximos jogos", começou por comentar, à BTV.

E estará João Pedro Sousa arrependido da opção tática tomada? "Arrependimento nenhum! Porque acredito nas ideias e porque tenho um grupo que acredita que é assim que vamos jogar. Falou nas ausências e estamos com dificuldades em alguns setores, e hoje, mais preocupante que a derrota é temos ainda mais um problema que é uma lesão do Hamache que pode ser grave".

"A nossa vontade era de fazer um bom resultado, queríamos dar uma alegria aos adeptos que não puderam cá estar. Não o conseguimos fazer, mas podemos prometer que vamos disputar os jogos com a ambição desta segunda parte. Independentemente do lugar [na tabela], penso que é importante criar uma ideia e sentimento que é transversal ao clube. A ideia é criar um Boavista forte e podemos prometer que vamos tentar ganhar todos os jogos. Porque o clube obriga a isso, a história e os adeptos obrigam a isso. Nunca, jamais, podemos ir para um jogo com outro pensamento que não o de ganhar ou de que não temos responsabilidade para lutar", finalizou.

Por Record
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Boavista

Notícias

Notícias Mais Vistas