Jorge Silva: «Não podem continuar a cortar-nos as pernas»

Lamenta os muitos erros que têm prejudicado a sua equipa no decorrer desta época

• Foto: Simão Freitas

Um ano depois de ter assumido a presidência do Famalicão, Jorge Silva não esconde o orgulho que sente por liderar um projeto tão ambicioso e respeitado a nível nacional. No entanto, o presidente também traz na memória uma série de lamentos, sobretudo no que diz respeito às arbitragens dos últimos jogos.

"Esta época tem sido complicada, bastante turbulenta. Há uma série de fatores que nos obrigam a fazer uma retrospetiva. Exigimos ser tratados da forma como tratamos. Por essa razão, o Famalicão tem sido penalizado nos resultados. Diria que nas decisões, nas posturas, nas atitudes, o que depois se reflete claramente nos resultados. Na dúvida, é sempre contra o Famalicão", frisou Jorge Silva, não centralizando as críticas apenas na arbitragem: "Tem a ver com muita gente. Arbitragem em alguns momentos, passando por alguns delegados da Liga a nível de comportamento. Não encontro explicações. De resto, não assumimos nada, a nossa realidade é que assume. Não vamos andar a dizer que lutamos para não descer. Temos todos os ingredientes para fazer algo bom, não podem é continuar a cortar-nos as pernas. Não queremos ser diferenciados de ninguém, apenas exigimos respeito."

Apesar das queixas, Jorge Silva acredita que esta época ainda há tempo para um final feliz. "A nossa vocação é lutar sempre pelos lugares cimeiros. Queremos lá chegar, há muito campeonato para disputar e nada está perdido", referiu o presidente.

Por João Baptista Seixas

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Famalicão

Notícias