As memórias de Cândido Costa: dos 'presuntos' de Jorge Costa à nudez... de Paulinho Santos

Paulo Machado lembrou ainda quando fez de... antena

Paulo Machado e Cândido Costa recordaram esta quarta-feira, no programa 'FC Porto em casa', algumas histórias das suas carreiras nos dragões. O médio recuou até ao dia da inauguração do Estádio do Dragão, 16 de novembro de 2003, para revelar um pedido peculiar de Deco e Jorge Costa.

"Antes do jogo, com as pessoas a entrarem no estádio, nós já estávamos lá no relvado para depois se fazer aquele truque. Estávamos lá em baixo e tínhamos quatro ecrãs para ver o que se passava, mas o nosso estava a dar mal, com interferência. O Deco e o Jorge Costa mandaram-me pôr a mão na antena e aquilo passou a dar melhor. Disseram-me 'vais ter de ficar aí, que tens muita energia positiva'. E lá estive eu ali, todo contente, duas horas, para eles verem televisão, que eu nem conseguia ver que a televisão estava por baixo", contou Paulo Machado.

Pelo seu lado, Cândido Costa recordou a condição que teve de aceitar para viajar junto dos mais velhos no autocarro do FC Porto. "Para ir no meio deles, que era onde se ouvia as histórias de antigamente, na primeira pessoa, o que era um privilégio, disseram-me que eu tinha de ir ali e levar com os dois presuntos em cima. E assim era… Mesmo depois dos jogos, cansado, lá vinha eu com as duas pernas do Jorge Costa em cima de mim", afirmou Cândido Costa.

Sobre outro histórico dos dragões, o antigo extremo recordou o seu primeiro estágio, então com Fernando Santos como treinador. "Fiquei com o Paulinho Santos no quarto. E aquilo era uma grande expectativa para um jovem como eu, levava tudo numa mala feita pela minha mãe. Não podia faltar nada. Quando lá chego ponho as minhas coisas na casa de banho, a escova de dentes, a pasta, shampoo, etc e ele nada. Fomos treinar, tomámos banho lá no balneário, jantámos e fomos para os quartos. E ele sem nada. Lavei os dentes, deitei-me na cama e estava lá a ver televisão. O Paulinho andava sempre nu no quarto, sempre à vontade… Ele lá andava 'Ó miúdo isto, ó miúdo aquilo...' Até que diz: 'Ó miúdo, vou lavar as dentuças.' E lá passa ele à minha frente, todo nu, sem levar nada. Começo a ouvir barulho de lavar os dentes e fiquei naquela, não disse nada. Perguntei-lhe como é que lavou os dentes e diz ele: 'Então, com a tua escova! Isto é uma equipa ou não é, c...?', contou.
Por André Monteiro
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas