Conceição e o "melhor FC Porto": «Depende do gosto de cada um, eu adormecia a ver o Barcelona»

Treinador dos dragões foi questionado sobre a qualidade da equipa campeã nacional e respondeu de forma curiosa

• Foto: José Gageiro/Movephoto
Sérgio Conceição fez esta sexta-feira a antevisão do jogo do FC Porto com o Estoril, uma partida da última jornada da Liga Bwin que se disputa amanhã, às 18h00 horas, no Estádio do Dragão.

O FC Porto tem recordes a bater, como o de mais pontos e o de mais jogadores utilizados de sempre. Tudo em ambiente de festa...
"A festa é depois do jogo. Preparámos este encontro obviamente com o espírito de muitos outros, em cima de vitórias, o que é sempre mais agradável. Com a particularidade de esta semana sermos já campeões. Isso não invalida a forma como temos de entrar no jogo, não a pensar em recordes, mas sim a focarmo-nos na nossa tarefa durante os 90 minutos para ganhar os 3 pontos. Se isso acontecer, vai coincidir com o máximo de pontos, o que me deixa feliz. Mas o foco é o jogo. O adepto do FC Porto quer festejar o título com uma vitória.
Em relação aos jogadores, vou utilizando os que acho que são importantes para ganhar os jogos. Sei que alguns ainda não participaram em jogos do campeonato, mas vamos ver em função do que acontece no jogo com o Estoril, uma equipa que fez uma excelente campeonato." 

A capacidade para potenciar jogadores é uma das suas grandes qualidades?
"Se a qualidade do jogador não estiver lá é difícil de mexer com ele. A equipa técnica é muito exigente no trabalho diário. Um jogador se for treinar e fizer quanto baste é suficiente, mas para nos não serve. Temos de trabalhar no campo. E toda essa crença que eles têm na nossa mensagem, no que podem fazer, tudo junto faz com que subam de produção. Há outros que não conseguem. Depende, temos conseguido elevar o nível da maior parte dos jogadores, mas isso tem a ver com o trabalho. 

Evolução como treinador
"Vocês [jornalistas] não assistem aos treinos. Acho que a minha evolução tem a ver com o meu percurso, com os diferentes grupos que vou apanhando, com o trabalho individual com os jogadores. E dentro disso perceber que sou apaixonado pelo que faço e sou muito dedicado ao trabalho. As coisas têm corrido bem nesse sentido, temos conseguido juntar a valorização dos jogadores aos títulos, mas continuo com o meu trabalho e nesta aprendizagem contínua que tenho de ter. Mas não gosto de falar de mim."

Como olha para os recordes, nomeadamente o facto de o FC Porto poder passar os 90 pontos?
"Olho para os recordes com prazer e orgulho pelo que nós conseguimos. Nos anos em que fizemos 85 pontos e em que não fomos campeões, fica uma palavra para os nossos rivais, Benfica e Sporting, equipas muito fortes, que vêm valorizar as nossas conquistas. Esses números e vitórias são importantes quando se atinge os títulos. Mas preferia ter 79 e ser campeão."

Preocupa-o, como cidadão, a facilidade com que estes episódios de violência, como o da festa do título acontecem?
"Como pai de 5 filhos, e olhando para o que foram os últimos anos, onde vi tanta gente partir, incluindo da minha família, por causa de uma pandemia que não tem fim, olhando para a situação da Ucrânia, para as emissões na TV, preocupa-me tudo isto. Não um episódio em si. Fico triste porque aconteceu num momento de festa de um clube que ganhou um título de campeão nacional. Como este episódio já muitos outros."

Qualitativamente, este foi o melhor plantel que treinou no FC Porto?
"O melhor plantel em que sentido? Em qualidade de jogo, individualmente? É difícil responder a isso. O meu primeiro ano tinha 'só' o Casillas, o Maxi, o Brahimi, o Herrera, o Aboubacar, o Otávio, que ainda anda por aí... Mais do que a qualidade individual é olhar para eles e ver o que podemos fazer com estes jogadores. Vitinha, João Mário, Francisco, muita gente da formação que no início da época poucos acreditavam que estariam aqui. O futebol mais agradável? Depende de muita coisa. Depende do gosto de cada um. Muitas pessoas gostavam de ver o Barcelona e eu adormecia..."

Que pensa do facto de haver adeptos do Benfica e Sporting a desejar a saída do Sérgio, porque seria bom para eles?
"Para mim não significa nada. A opinião dos que dizem isso já disseram mal, acho que isso é um elogio. É como os adeptos, hoje gritam pelo meu nome e amanhã, se não ganhar, vão assobiar. Os treinadores vivem com isso e há que aceitar as críticas negativas e positivas. É um elogio mas o elogio que dão hoje, foram os mesmos que me criticaram severamente no passado.

Final da Taça de Portugal, na baliza vai continuar a apostar no
Marchesin?
"Em relação à baliza o Marchesin tem jogado na Taça e se treinar bem durante a semana tem grandes probabilidades de jogar a final. Não sou de dar rebuçados a ninguém, mas vamos ver. Faz parte da estratégia para o jogo. Os quatro jogadores que não são campeões, porque não têm nenhum minuto, não fica muito difícil de ver o que vai acontecer amanhã..."
Por Record
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas