Emails provam esquema de negócios fictícios no FC Porto, avança o 'Correio da Manhã'

MP diz que Pinto da Costa recebeu parte das luvas

• Foto: Manuel Araújo/Movephoto
A 23 de dezembro de 2014, às 13h08, Pedro Henriques, responsável da Doyen, manda um email a Nélio Lucas, o homem-forte daquele fundo de investimento que negociava jogadores. Estava em causa o pagamento de 280 mil euros pela observação de jogadores que tinha de ser feito à empresa de Pedro Pinho e Alexandre Pinto da Costa. Era preciso arranjar uma forma de simular um contrato de prestação de serviços para sustentar a fatura, já que o contrato do FC Porto era feito com a Vela e não com a empresa do filho de Pinto da Costa. Já tinha sido feito um primeiro pagamento de 140 mil euros, com recurso a outro documento falso, faltava assegurar que o segundo também cumpria uma aparente legalidade.

Leia a notícia na íntegra no Correio da Manhã
Por Correio da Manhã
189
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas