Francisco J. Marques desmente óleo no Dragão e contra-ataca: «Na Luz cheirava a fossa»

Diretor de comunicação queixa-se também de avaria no ar condicionado e garante que delegados foram chamados

• Foto: Ricardo Jr

Francisco J. Marques desmentiu as acusações do Benfica relativamente à existência de óleo nas paredes do balneário e lembrou a ida do FC Porto à Luz, em agosto, na qual, segunda o diretor de comunicação dos dragões, os jogadores azuis e brancos tiveram de se equipar num balneário com "cheiro a fossa e com um calor insuportável".

O dirigente azul e branco respondeu também às queixas dos encarnados quanto ao acesso vedado à carrinha do Benfica e recordou que, aquando do jogo da primeira volta, os funcionários do FC Porto também "só puderam entrar 3 horas antes".

Vieira confirma óleo no balneário do Dragão: «Façam o mesmo quando vierem à nossa casa!»
"A carrinha do Benfica chegou por volta das 14h30 e foi-lhe negada a entrada por razões de segurança. Às 16 horas ia haver vistoria policial e o estádio tinha de estar em condições de ser vistoriado. Mas também porque o Benfica não pode fazer o que quer. Para estas coisas existem regulamentos e depois há o bom senso. Na primeira volta o Benfica só deixou o FC Porto entrar 3 horas antes. Por que é que na 2.ª volta não teria que ser assim? Porque é o Benfica? E por que é que as 3 horas são uma boa baliza? Porque é o período no qual os delegados se apresentam aos jogos. Três horas antes o jogo passa a estar sob a jurisdição da entidade organizadora, através dos delegados, que podem acorrer a qualquer situação", começou por dizer Francisco J. Marques, antes de prosseguir com a resposta.

"Queixam-se de óleo e não tiraram uma fotografia? Três horas dá muito tempo para preparar o balneário. O FC Porto também caracteriza os balneários e na Luz entrou três horas antes. O Benfica não teve tempo? Claro que teve. Mas mais. O que é que fez o Benfica quando o FC Porto foi a Lisboa? De manhã, houve uma reunião e estava tudo normal. À tarde, 3 horas antes, os funcionários chegam e encontram um cheiro a fossa bastante intenso e um calor insuportável. Que só era no balneário. Fora estava tudo normal. O jogo foi em agosto. Os delegados da Liga foram chamados, portanto isto é comprovável. E o Benfica explicou o mau cheiro do balneário com o facto de este não ser usado há muito tempo, quando foi usado duas semanas antes. E, quanto ao calor, disse que houve avaria no ar condicionado", atacou o diretor de comunicação dos dragões.

Uma situação da qual o FC Porto nunca se queixou publicamente porque, segundo Francisco J. Marques, venceu no campo, "com um baile".

"Nunca houve queixas. Porque o FC Porto ganhou no campo e deu baile. Agora queixaram-se porque não tiveram capacidade de ganhar no campo. Ganhem vergonha. Mais. A carrinha que chegou às 14h30 fez o número de bloquear a entrada a toda a gente. Foi nessas circunstâncias que interveio a polícia. Esta carrinha bloqueou o acesso ao P1. A polícia obrigou-os a sair. E é dessa conivência que o Vieira acusa a polícia", concluiu.

Por Pedro Morais
24
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.