Sérgio Conceição explica ausência de Felipe e revela 'segredo' da dupla atacante

A análise do treinador do FC Porto à goleada no Bonfim

• Foto: Lusa
O FC Porto goleou no terreno do V. Setúbal por 5-0 e Sérgio Conceição destacou a forma como a equipa "se divertiu" com bola, dificultando a tarefa do adversário em parar os seus jogadores. Nomeadamente Marega e Aboubakar, que fizeram os cinco golos e cuja função foi explicada pelo técnico portista. A fechar, o timoneiro azul e branco explicou a ausência de Felipe por motivos de gestão.

Sobre a goleada - "Foi uma resposta para nós próprios, não foi para ninguém, jogamos em função da nossa exigência. Somos um grupo de qualidade e queríamos ganhar. Conseguimo-lo de forma muito meritória. Dou os parabéns aos jogadores por um bom trabalho num campo difícil."

Resposta aos rivais e o facto de o FC Porto vacilar na época passada nestes jogos - "Não pensamos no que aconteceu o ano passado. Nestes jogos é que se ganham campeonatos, são sempre difíceis, da nossa parte não há intranquilidade ou pressão extra pelos rivais terem ganho ontem. Há um caminho traçado e um foco no nosso objetivo, preparando os jogos da melhor forma. Estamos atentos ao que os outros fazem mas o principal objetivo é o de dar o máximo e meter em campo o que trabalhamos, ganhando os três pontos. Hoje conseguimo-lo de forma fantástica, apesar de o V. Setúbal ter criado dificuldades no início. Depois dos 15 minhtos pegámos no jogo e fizemos o que tínhamos a fazer. Uma palavra ao José Couceiro e ao Vitória, que merece o meu carinho e que tudo corra pelo melhor."

Dupla Aboubakar/Marega - "Pretendo que façam o que estão a fazer: golos. Isto é um combinado do trabalho de equipa muito bom. Hoje divertimo-nos com bola, tivemos uma posse muito interessante, com profundidade e jogo interior e exterior. Fica difícil para os adversários, estivemos muito bem nesse aspeto. O que peço aos jogadores que possam jogar na frente... o trabalho deles é marcar golos mas há outro trabalho que eles fazem sem bola ou com, são jogadores altruístas e não pensam muito no golo, assim eles surgem com mais facilidade."

Ausência de Felipe - "Achei que era o momento do Diego Reyes jogar. O Felipe é importante como os outros mas é uma questão de gestão, os mais utilizados são os dois centrais e temos de gerir. Temos jogadores de qualidade que podem contribuir com a qualidade com que o Felipe tem contribuído. Olhamos para o jogo e vemos o que é melhor. Se vai continuar no onze como José Sá? (risos) Vamos ver, o que interessa é que deem resposta diária para eu ter boas dores de cabeça."
5
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de FC Porto

Notícias

Notícias Mais Vistas